Mulheres especialistas em TIC são apenas 1,8% do emprego total. A Huawei Portugal aderiu a aliança que quer mudar isso

De acordo com o ranking Women in Digital do Digital Economy and Society Index 2021 (DESI), em Portugal as mulheres especialistas em Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) são apenas 1,8% do emprego total, face a 6,2% entre os homens. Estes são alguns dos dados que ilustram a desigualdade do género vigente no nosso país no campo das TIC e que iniciativas como a Aliança para a Igualdade nas TIC querem combater.

 

Foi com base nessa premissa, que a Huawei Portugal assinou um acordo para adesão a esta iniciativa, promovida pela Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, Rosa Monteiro, a Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género e a Associação Portuguesa para a Diversidade e Inclusão.

A contar com um alargado conjunto de iniciativas estratégicas que visam impulsionar a representação feminina no sector das TIC, de que se destacam, por exemplo, a Summer School for Female Leadership in the Digital Era, cuja primeira edição ocorreu em Agosto de 2021 em Lisboa, e ainda o programa de bolsas universitárias lançado em Dezembro passado, a Huawei deu assim mais um passo para consolidar o seu compromisso no campo da igualdade do género com este acordo de princípio agora formalizado.

Para Toni Li, CEO da Huawei Portugal, a adesão da empresa à Aliança para a Igualdade na TIC «é mais uma prova de que a Huawei está inquestionavelmente empenhada em contribuir para a criação de uma era digital mais inclusiva»

Presente na cerimónia de assinatura do protocolo, Sandra Ribeiro, Presidente da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, fez questão de salientar que «é determinante que os agentes económicos se juntem a estas iniciativas, para que a igualdade de género seja uma realidade no mais curto espaço de tempo em Portugal».

Importa aqui referir que a Aliança para a Igualdade nas TIC vem formalizar a rede de parcerias do programa “Engenheiras por Um Dia”, tendo em vista a promoção da inclusão digital das mulheres e da respetiva participação nas engenharias e nas tecnologias, consolidando e estruturando formas de cooperação sistemáticas e de divulgação do trabalho realizado pelas entidades parceiras.

Os compromissos assumidos no âmbito da Aliança para a Igualdade nas TIC estão enquadrados tanto pelo Plano de Acção para a Transição Digital, como pelo Plano de Recuperação e Resiliência e contribuem para a concretização do Eixo 3 “Desenvolvimento científico e tecnológico igualitário, inclusivo e orientado para o futuro” da Estratégia Nacional para a Igualdade e a Não Discriminação 2018-2030 “Portugal + Igual”.

Ler Mais
pub


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*