Rock in Rio – Learning Experience: O valor da educação

Com o ADN assente na inovação, o Rock in Rio surge hoje associado a um conjunto de iniciativas que visam transformar o mundo em algo melhor. A mais recente é a nova unidade de negócio que dá pelo nome de LExU e que tem como base o conceito de edutainment. A sua primeira iniciativa é a Rock in Rio Innovation Week 2019, que está a decorrer no LACS, em Lisboa, até sexta-feira.

 

Por Sandra M. Pinto | Fotos Cristina Carvalho

 

O motor do Rock in Rio é a paixão. O Rock in Rio nasce da paixão de Roberto Medina pelo Rio de Janeiro e, depois de algumas vicissitudes, o evento regressa mas desta feita com outra paixão, “por um mundo melhor” a favor de causas sociais. «Com esta motivação extra, o Rock in Rio regressa com mais força», relembra Roberta Medina, vice-presidente executiva do Rock in Rio. Nessa altura o Rock in Rio Por um Mundo Melhor nasce com uma visão internacional e chega a Portugal «movido por uma paixão de um grupo de amigos que já dura há 15 anos». O evento ganha uma forma diferente quando os responsáveis se apercebem que os pais que tinham ido nas primeiras edições começam a levar os filhos, «o Rock in Rio não estava preparado para receber crianças pelo que percebemos que havia ali qualquer coisa nova a que era preciso dar atenção, e já em Portugal convidámos a família toda», relembra. Surge então o parque temático e o Rock in Rio volta a transformar-se movido por uma nova paixão, «2004 marca o nascimento do Rock in Rio parque temático da música onde marcam presença diferentes marcas e produtos todos movidos por paixões. Assim como a Rock Street nasce da paixão de Roberto Medina por Nova Orleães». Não há nada no Rock in Rio que não tenha na base, na génese a paixão de alguém. O tema educação não é diferente, tendo começado a ser abordado dentro do Rock in Rio devido à paixão de Agatha Arêas, vice-presi- dente de Learning Experience do Rock in Rio, pelo tema.

Primeiro nasce o Rock in Rio Academy, «um produto muito bem estruturado do qual fazem parte marcas que não estão no Rock in Rio porque ali trata-se de gestão e não de entretenimento», relembra Roberta Medina. O passo seguinte foi o nascimento do Rock in Rio Innovation Week, «onde, mais uma vez, a base é a paixão da Agatha sobre o tema inovação», reforça Roberta Medina. Agora, tudo ganha sentido pois cada uma destas iniciativas enquadra-se no tema educação, «é o nascimento de uma nova área de negócio integrada na estrutura Rock in Rio».

Edutainment é o termo que representa a junção entre “Education” e “Entertainment” criado, ou pelo menos tornado público, por Walt Disney nos anos 50. Walt Disney acreditava que o entretenimento, através do cinema e do teatro, pode ser uma poderosa ferramenta para a educação. Com base nesta crença, o Rock in Rio dá agora vida a uma plataforma de edutainment, a qual «transmite o nosso ADN de sonhar e fazer acontecer na construção de cultura e resultados extraordinários nas áreas da criatividade, inovação, liderança e comunicação, ao proporcionar aprendizagem através de experiências nos universos da inspiração, conhecimento e sensações», revela Agatha Arêas.

Promover experiências de aprendizagem transformadoras, que desenvolvam modelos mentais de crescimento é a missão da plataforma de edutainment do Rock in Rio, o qual vai ter uma nova unidade de negócios, a LExU. Como explica Agatha Arêas, «LExU é a abreviação de “Learning Experience Unit”, e é a área do Rock in Rio responsável pela plataforma de Edutainment, gerindo os seus projectos de learning experience em quatro eixos: programas; eventos; inteligência (data & trends); e produtos». Com a intenção de contribuir para a construção de um mundo melhor através da educação, ao mesmo tempo que contribui para o desenvolvimento das novas competências técnicas e relacionais na formação de pessoas mais confiantes, felizes e empáticas, a LExU surge da crença de que o Rock in Rio pode e deve fazer a sua parte na educação e no desejo de dedicar a atenção que as experiências de aprendizagem necessitam e merecem. «Desde 2015 que realizamos o Rock in Rio Academy, surgindo depois o Rock in Rio Innovation Week», relembra Agatha Arêas, «tínhamos diversos projectos de learning on hold por não serem prioridade na lista de jobs que o Marketing, área onde nasceram essas ideias e projectos, vinha incubando e acelerando no interior da estrutura do Rock in Rio. Uma vez identificada a relevância e o potencial da área, decidimos criar uma estutura para desenvolvê-la».

 

Leia a reportagem na íntegra, na edição de Junho da Human Resources.

Ler Mais
Comentários
A carregar...

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
Trotinetes hive chegam à app Free Now
Automonitor
Nissan LEAF em modo drift