Trabalho híbrido também tem aspectos negativos. Siga estas dicas para os eliminar (ou pelo menos atenuar)

A pandemia COVID-19 forçou os empregadores e forças de trabalho a adoptarem o trabalho híbrido, a mistura de escritório e teletrabalho. Muitas organizações estão a operar em modelos de trabalho construídos que contêm lacunas ocultas, riscos, ineficiências e ameaças. Como resultado, muitos estão a perder a oportunidade de alcançar todos os benefícios de um modelo de trabalho híbrido eficaz.

 

A Robert Walters realizou uma pesquisa com mais de 2000 profissionais globalmente para descobrir a resposta das principais questões levantadas por empregados e empregadores, dentre elas: Quais são os pontos positivos e negativos do trabalho híbrido?

  • 40% dos profissionais disseram que os modelos de trabalho híbrido de seus empregadores poderiam melhorar;
  • 85% esperam mais flexibilidade para poderem estar em teletrabalho no futuro;
  • 78% afirmam que há mais hipóteses de aceitarem um novo emprego se tiverem uma política de trabalho híbrido bem definida.

Os benefícios potenciais podem ser numerosos, mas o trabalho híbrido também apresenta alguns desafios. Se não detectados ou ignorados, podem levar a um declínio na moral da equipa, uma deterioração da cultura, menor produtividade, maior rotatividade de pessoal e danos à proposta de valor do empregador.

A Rober Walters destaca problemas que os empregadores e managers de contratação dizem ter encontrado com o trabalho híbrido e como eliminar, mitigar ou aliviar de forma proactiva.

1. Obstáculos de contratação
A maioria das grandes empresas foram construídos sobre modelos tradicionais onde os colaboradores se reúnem na sede corporativa ou no escritório, das 9h às 17h de segunda a sexta-feira. Estratégias de contratação focadas em um raio geográfico relativamente limitado, e selecção de processos que exigiam entrevistas pessoais.

O trabalho híbrido interrompeu há muito tempo suposições sobre quem, como e onde as organizações devem recrutar. Num mercado competitivo, onde a maioria dos CEOs esperam crescimento, os managers de contratação têm sido desafiados a testar, aprender e inovar em grande velocidade e escala.

Soluções:

Conheça seus limites: Antes do seu processo de selecção começar, seja bem claro sobre quais elementos dessa função específica pode e não pode ser realizada remotamente. Certifique-se de que as especificações do trabalho declarem isso claramente e explique as suas expectativas durante as entrevistas também.

Mova-se rápido: A duração do seu processo de recrutamento pode ser a diferença entre garantir ou perder os melhores talentos do mercado. A tecnologia remota permite que os managers de contratação se movam de forma rápida. Por exemplo, conduzir as primeiras entrevistas via vídeo é mais simples e mais flexível do que pessoalmente.

A cultura é importante: as entrevistas pessoais fornecem indicadores úteis da provável “adequação cultural” entre um entrevistado e um possível empregador, mas ferramentas remotas também podem fazer isso (por exemplo, comportamento online e teste psicométrico).

Pergunte “Porquê híbrido?”: As pessoas têm diferentes razões pessoais e profissionais para quererem modelos híbridos. Se um candidato manifestar preferência por trabalhar remotamente, descubra porquê. Por exemplo, é devido a compromissos familiares, ou por cauda deslocação diária?

 

2. Inovação e produtividade
No ano passado, quando a Robert Walters realizou um estudo sobre o futuro do trabalho, e uma disparidade tornou-se clara: 85% dos colaboradores esperavam mais flexibilidade para trabalhar em casa no futuro, mas 60% dos empregadores disseram ter preocupações sobre a produtividade dos colaboradores.

É aí que reside o enigma. Para atrair e reter os melhores talentos, os empregadores precisam deatender às expectativas. Ao mesmo tempo, precisam de sua força de trabalho a ser produtiva e inovadora. Vários empregadores estão a lutar para conseguir o melhor de ambos os mundos.

Soluções:

Maximize o trabalho pessoal: Optimize o tempo que as pessoas passam juntas, criando locais de trabalho e espaços que estimulem a experimentação e a colaboração. Consulte a sua equipa durante o tempo que estão juntos no escritório, e suas instalações vão-se tornar um activo que ajuda a atrair e reter talentos.

Adopte a nova tecnologia: Fique de olho nas soluções de tecnologia emergentes. Por exemplo, o Zoom planeia lançar um novo recurso Smart Gallery, usando IA para permitir que três pessoas numa sala de conferência física apareçam em câmaras diferentes, dando igual tempo e oportunidade para todos os participantes contribuírem com suas ideias.

 

3. Bem-estar da força de trabalho
Quando os trabalhadores souberam pela primeira vez  do trabalho híbrido, muitos esperavam que mais tempo em casa (e menos deslocações) só poderia melhorar sua saúde mental e bem-estar. Mas, para muitos, essa nova forma de trabalho têm um preço maior.

Formações e ferramentas: Um estudo da PwC revelou que apenas 21% dos trabalhadores afirmam que o seu empregador os ajudam a administram o stress e se concentrarem no bem-estar mental / emocional. Os empregadores proactivos devem compartilhar conhecimento e ferramentas com managers e colaboradores que os ajudam a manter o bem-estar e lidar com qualquer preocupações iniciais.

Canais digitais: Muitas pessoas sentem-se mais confortáveis ​​acedendo a algum suporte de bem-estar online, e às vezes anonimamente. Certifique-se de que a equipa está ciente de quaisquer recursos digitais e como acessá-los de forma confidencial.

Repensar os processos: O trabalho híbrido tem tudo a ver com flexibilidade, então use isso em todo o seu potencial. Incentive pessoas a usarem o pacote completo de opções de comunicação digital e pessoal, em vez de assumir que somente uma vídeo chamada é necessária para suprir o problema.

Ler Mais
pub


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*