Um terço dos bilionários não terminou o ensino superior. Saiba porquê

Um terço dos bilionários não terminou o ensino superior (dados da Wealth-X de 2016), incluindo Bill Gates, Richard Branson e Mark Zuckerberg, e a tendência parece manter-se. De acordo com o Business Insider, são muitos os empresários de sucesso que concordam com a ideia de que não é preciso uma licenciatura para construir um negócio e obter bons resultados.

 

Com base nos testemunhos de oito líderes e conselheiros da organização The Oracles – que junta alguns dos CEOs e empreendedores de maior sucesso do mundo –, a publicação reuniu um conjunto de razões que mostram como um diploma não é garantia de nada:

1 – É raro ser, de facto, necessário um curso actualmente. De acordo com Gary Vaynerchuk, fundador e CEO da VaynerX, empresas como Google ou Apple não pedem um diploma a quem se candidata a uma vaga de emprego. O responsável considera que a dívida potencialmente associada a uma licenciatura (ou outro grau académico) não justifica o proveito que se tira dela: para se ser bom empreendedor, deve-se fazer, pôr as mãos na massa;

2 – Tempo é dinheiro. Grant Cardone, por seu turno, lembra que o tempo é precioso e que os anos passados a estudar poderão representar um atraso na carreira. O fundador da Cardone Capital conta que passou cinco anos na faculdade para ter um curso de contabilidade e que, se pudesse, voltaria atrás no tempo e saltaria esta etapa. No entanto, lembra, pode ser um bom local de networking;

3 – Aprender fazendo. Tal como já tinha sublinhado Gary Vaynerchuk, aprender fazendo poderá ser melhor do que aprender sentado numa sala de aula. Brandon Dawson, co-fundador e CEO da Cardone Ventures, conta que a sua experiência no terreno foi o que lhe permitiu ganhar confiança e outras competências necessárias para ter sucesso;

4 – Não é preciso um curso para se ser o próprio patrão. Se o objectivo é lançar um negócio em nome próprio, o curso não é necessário, afirma Sarah Crisp, fundadora da Wholesale Ted. Diz a profissional que «enquanto empreendedor, não é preciso um curso para se ser escolhido para um emprego». Escolhemo-nos a nós próprios, sublinha;

5 – É possível alcançar o sucesso antes dos amigos se terem formado. Mais uma vez, a questão do tempo. Desta vez é Markus Hetzenegger quem aponta para o facto de que, enquanto os amigos estudam, é possível lançar um negócio e ter sucesso. O fundador e CEO da NYBA Media explica que não se opõe por completo ao ensino superior, mas afirma que quem sabe o que quer – e que se isso passa por ser o próprio patrão – há que considerar o caminho mais rápido para lá chegar;

6 – Não ter um curso obriga a trabalhar ainda mais. Não ter um diploma no currículo poderá obrigar a trabalhar mais e a apostar noutros recursos – nomeadamente, resolução de problemas e ética de trabalho. As chamadas soft skills são adquiridas no terreno, com experiência no mercado de trabalho;

7 – Todo o conhecimento necessário está nas pontas dos dedos. Tom Ferry, fundador e CEO da Tom Ferry International, defende o ensino superior como a opção lógica para quem sabe que quer ser médico ou advogado, por exemplo. Por outro lado, quem vai para a faculdade em busca do seu caminho poderia ficar melhor servido com experiências no mundo real. Será aí que encontrarão as suas paixões e os mentores certos para avançar;

8 – Aprender com mentores. Pegando no conselho anterior, Matt Schuldt, co-fundador do TPA Media Group, vinca que há conhecimentos que não poderão ser adquiridos na faculdade. Os mentores são essenciais para aprender algumas competências, beber experiência e inspiração.

Ler Mais
Comentários
A carregar...

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
YouTube faz 15 anos: o que mudou e o que ainda vai mudar
Automonitor
Presidente promulga diploma sobre alteração de matrículas automóveis