A Gestão de Pessoas num período de mudanças!

Opinião de Ricardo Florêncio

Director da Revista HR Portugal

Editorial publicado na edição de Junho 2011 da revista HR Portugal

Serão certamente tempos mais difíceis para gerir pessoas. Mais do que expectativas, está ao rubro a ansiedade. A incerteza, o burburinho e as conversas informais transformam qualquer bom colaborador num vulcão de emoções. A produtividade, essa, só tende a diminuir.

É aqui que entram em acção os verdadeiros líderes, e os bons gestores de pessoas.

O saber gerir e desmistificar, a capacidade de voltar a focar as pessoas no que é essencial, a competência para comunicar nestes tempos difíceis, vão fazer toda a diferença entre pessoas, e, em correlação directa, vão distinguir as empresas que vingam daquelas que, pelo menos, vão atravessar tempos de turbulência.

O presidente/ CEO, verdadeiro n.º 1 na Gestão de Pessoas da empresa, e o director de Pessoas/ Recursos Humanos têm a principal palavra nesta altura, e sobre esse assunto. São eles os principais veículos e instrumentos para que toda a empresa se foque no que é o core business da empresa, e não se dispersem em actividades, conversas, e afins, que apenas fazem diminuir a produtividade da empresa e reduzir a capacidade de resposta desta ao mercado e aos seus concorrentes.

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...