Construção e imobiliário: que evolução esperar neste sector?

O ano passado, o sector da Construção e Imobiliário continuou a crescer, porém de forma mais moderada em comparação com os últimos dois anos. Apresenta um balanço «estável e bastante positivo». Os dados são do Guia do Mercado Laboral 2020, da Hays, que revela ainda o que procuram os profissionais destas áreas.

 

Camila Souto, Team leader da Hays Portugal, explica que há «dinamismo do mercado, que resulta de um volume interessante de processos de recrutamento e uma acentuada pressão salarial, uma vez que ainda existe um gap bastante acentuado entre a oferta e a procura de profissionais qualificados para determinadas funções, face ao período de crise que o sector sofreu».

Os investidores têm-se focado, principalmente, na reabilitação urbana no sector residencial de gama alta.

A entrada das Sociedades de Investimento e Gestão Imobiliárias (SIGI) captaram investimentos de grande escala, sobretudo estrangeiro, dando continuidade ao  dinamismo que o mercado imobiliário vive nos últimos anos, o que poderá contribuir para a maturação do sector em 2020.

Ao analisar os dados do inquérito dos profissionais deste sector, verificou-se que 64% não negociaram o pacote salarial, 20% foram aumentados, 47% recusaram ofertas de emprego e 5% foram promovidos, em 2019.

 

Perspectivas para 2020
Este ano pode ser um bom ano para dar seguimento a projectos de construção nova, nomeadamente habitação, hotéis e edifícios de escritórios, levando assim a que haja um crescimento nas empresas do sector, ao nível de construtoras, gabinetes de projecto, fiscalização, avaliação imobiliária e mediação imobiliária.

«Neste mercado em especifico, tem-se observado cada vez mais profissionais a querer regressar a Portugal. Pois, nos anos de crise da construção civil muitos profissionais saíram do país e agora que o mercado nacional está dinâmico neste sector e com diversas oportunidades, querem regressar», garante a responsável.

A grande procura por um «mercado apetecível, como Portugal», reflecte-se no aumento de investimento externo, com vários players a iniciaram actividade.

 

Perfis mais solicitados e os mais difíceis de identificar
O Guia revela que, em 2019, houve uma necessidade de investimento e retenção no recrutamento para o sector de Construção e Imobiliário para perfis de Investment Analyst, Project manager, Facility manager e director de obra.

O perfil mais difícil de identificar foi o de Project manager.

 

O que mais valorizam e que benefícios desejam?
No que respeita às principais mais-valias na escolha de um trabalho os inquiridos, valorizam a oferta salarial (91%), o bom ambiente de trabalho (81%), plano de carreira (60%), cultura empresarial (57%) e benéficos não financeiros (53%).

Entre os benefícios que mais desejam, encontram-se a flexibilidade de horários (66%), formação/certificações (62%), possibilidade de trabalhar a partir de casa (57%), dias de férias extra (55%) e seguro de saúde (79%).

 

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
Reprise, Initiative, Unilever e Somersby são os grandes vencedores dos Prémios SAPO
Automonitor
Já pode encomendar o novo Citroën C1 JCC+ desde os 14.727 euros