Estamos em Férias: esquecer as metas, pensar em objetivos!

Por António Saraiva, Business Development Manager na ISQ Academy

Mudança ou transformação pressupõe a alteração de uma situação anterior para um estado futuro, por razões inesperadas e não controláveis, ou por razões planeadas e devidamente programadas. As férias são no mínimo planeadas e procuramos encará-las sempre, não só como um direito, mas acima de tudo como um recarregar de baterias para uma nova etapa laboral, e até de vida. Mas também as aproveitamos para um momento de reflexão entre o que aconteceu e o que desejamos que venha a acontecer. Nesta perspetiva, mantemos vivo um estado psicológico… imutável de nos perspetivarmos enquanto pessoas e profissionais.
E agora que o período tradicional de férias está em curso, façamos a mesma reflexão no âmbito da Gestão de Pessoas. Muito aconteceu por via do passado recente, com um foco claro no Bem Estar das Pessoas, repensando-se políticas de benefícios e cuidados com a Saúde Mental. Perspetivamos algo de diferente para o futuro? Não! O desafio mantém-se, pois sucedem-se acontecimentos com forte impacto na vida em Sociedade e das Organizações, com repercussões evidentes na economia familiar e na incerteza do futuro.
Contudo, estamos perante um dinamismo claro e evoluções que dificilmente serão travadas. O impacto das novas tecnologias iniciou já um processo do surgimento de novas profissões – estima-se que cerca de seis milhões de oportunidades de emprego surjam em todo o mundo, em áreas que estão atualmente a serem desenvolvidas. O home office demonstrou resultados positivos, estimando-se, igualmente, que um formato híbrido seja a solução para os próximos anos, já não falando nas experiências da semana laboral dos quatro dias.
A automatização dos processos encontra-se em alta. É uma transformação que aponta para uma Gestão de Pessoas de cariz mais estratégico, do que operacional, com a vantagem de se coligirem dados e indicadores mais rapidamente, auxiliando a agilização da maioria dos processos. Ou seja, um People Analytics robusto permite uma gestão mais eficiente e em tempo real.
Procura-se, pois, uma Gestão de Pessoas que pense de forma mais analítica e com a inovação na agenda diária. Deixa de existir espaço para técnicas obsoletas ou crenças limitativas. É necessário ser ousado, com antevisão de resultados e manter o foco em soluções que monitorizem a produtividade, sem esquecer as premências comportamentais. Desejam-se processos ágeis, estratégicos e baseados em dados reais.
É importante, pois, aliar a Gestão de Pessoas a uma componente digital, sem deixar de descurar a cultura organizacional, agregando resultado positivos ao nível do clima dentro das equipas e da motivação das pessoas. E o novo profissional deseja estar inserido em ambientes que respeitem a pluralidade: uma melhor e maior visão do mundo e mais consistente partilha de ideias, numa agenda clara de diversidade e inclusão.
É indispensável que a Gestão de Pessoas concretize as suas ações na transparência, antecipe soluções e divulgue clara e objetivamente mudanças estratégicas e capacite as Pessoas para lidar com novas ferramentas, adaptar-se a uma nova forma de organização do trabalho. Desta forma, aumenta o sentimento de pertença à Organização e retém o talento.
As férias são um momento de relaxar e recarregar as energias para um novo ano, mas serão mais relaxantes se refletirmos nos nossos sonhos, em propósitos ou até objetivos. Não devemos comprometer o descanso pensando em metas… esse é o regresso ao trabalho!



Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*