Trabalha em tecnologia e procura emprego? Vá a este evento. Ali vão ser criadas 20 mil novas colocações

É já a 15 de Outubro que arranca mais uma edição da Future.Works Tech Conference (ex-Landing Festival) em Lisboa, marcando o grande regresso do evento desde o início da pandemia. O evento vai decorrer no Centro de Congressos de Lisboa durante dois dias.

Na Future.Works Tech Conference, onde marcarão presença mais de 30 empresas com mais de 1000 oportunidades de emprego, os participantes poderão usufruir de mais de 60 sessões – desde palestras, workshops, a aconselhamento especializado – com líderes de empresas de topo e pioneiros tecnológicos; dicas sobre carreiras – com sessões sobre trabalho remoto, entrevistas de emprego, negociação de salários, competências pós-pandemia -; bem como networking e muito entretenimento.

Encabeçando os mais de 60 palestrantes que figuram no cartaz de luxo desta edição, encontram-se nomes como o do lendário John Romero, criador dos jogos de sucesso Doom e Quake, Philip Zimmermann, criador do protocolo PGP, Ekaterina Sirazitdinova, Data scientist na NVIDIA, Maxim Salnikov, developer EngagementlLead na Microsoft, Bear Douglas, director of Developer Relations no Slack, e Nir Chervoni, head of Data Security na Booking.Entre muitos outros, estes são alguns dos temas que irão ser abordados: Inteligência Artificial, Cibersegurança, Blockchain, Ethical Hacking, Gaming, Gestão de Produto e UX.

Fazer a ponte entre o talento tecnológico e as empresas é um dos grandes objectivos da Landing.Jobs na organização de iniciativas como a Future.Works Tech Conference. Num ano em que 75% das empresas estão a ver crescer as necessidades de contratação de perfis tech (assim como os salários) – de acordo com o relatório “Tech Hiring Trends – Portugal 2021”, desenvolvido e lançado recentemente pela startup portuguesa -, e em que o trabalho remoto passou de excepção a regra, a Landing.Jobs está a promover a empregabilidade tech em Portugal, tendo a meta de ajudar a criar 20 mil empregos tech remotos nos próximos três anos, quer em empresas nacionais, quer em empresas internacionais angariadas para abrir atividade em Portugal.

Este aumento de empregos tech representaria, entre salários e valor acrescentado, um aumento estimado de 1% a 3% no PIB nacional. Recorde-se que a startup ajudou já mais de cem empresas internacionais – como a Volkswagen e a Sky – a criar equipas em Portugal. Com base no mesmo relatório, 75% das equipas tech estão concentradas em Lisboa e Porto, pelo que a intenção da Landing.Jobs é – em conjunto com o governo, autarquias e empresas – ajudar a distribuir este talento por todo o país, com mais de metade fora das grandes metrópoles, de forma a contribuir para o desenvolvimento regional.

Diogo Oliveira, CEO da Landing.Jobs, afirma «tornar Portugal num dos principais Hubs tecnológicos a nível mundial tem de ser um imperativo de todos: empresas, governo, autarquias, instituições, universidades, profissionais tech, etc. Ajudar a criar 20 mil empregos tech é o meio de conseguirmos diferenciar o país, erguer a cabeça, recuperar velocidade e chegar a um futuro melhor. E longe de ser uma utopia, é perfeitamente possível».

De acordo com outro relatório lançado pela startup este ano – o “Tech Careers Report 2021” -, trabalhar para empresas fora de Portugal é uma realidade que está a crescer, com 22% do talento tecnológico nacional actualmente nesta situação, sendo que trabalhar para uma empresa internacional significa um salário 35,8% mais alto do que trabalhar para uma empresa em Portugal.

Promovendo a trajetória inversa, a Landing.Jobs quer ajudar a trazer profissionais tech de topo de todo o mundo para Portugal, assim como nómadas digitais e ‘cérebros nacionais’ que emigraram nos últimos anos, estando a prever trabalhar com instituições públicas e empresas para criar incentivos que facilitem todo o processo dos vistos e deslocações. Precisamente para atrair estes profissionais tech estrangeiros, a Future.Works Tech Conference contará também com uma versão online.

Os bilhetes para a Future.Works Tech Conference estão à venda no site oficial do evento e vão desde os 25 euros (participação virtual) aos 100 euros (premium). O bilhete standard custa 50 euros. Estudantes podem ter acesso a bilhetes grátis nas suas universidades e associações de estudantes.

Ler Mais
pub


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*