Gestores preocupados com pagamentos fora de prazo

Seis em cada dez gestores portugueses estão preocupados com a capacidade de os clientes pagarem nos prazos e 57% acredita que o risco de atraso/não pagamento vai continuar a aumentar, revela um estudo da Intrum divulgado hoje.

 

De acordo com o estudo, realizado a mais de 11 mil empresas, em 29 países, – das quais 333 são portuguesas, 64% das empresas nacionais afirmam estar mais preocupadas do que nunca com a capacidade de os seus clientes pagarem nos prazos, valor próximo dos 62% da média europeia.

A construção é o sector que lidera a preocupação com a capacidade de os clientes pagarem nos prazos, fixando-se nos 84%. Segundo a análise divulgada, 57% dos inquiridos acredita que o risco de atraso/não pagamento vai continuar a aumentar, também próximo da média europeia (60%).

A Intrum assinala que nos últimos 12 meses, os incobráveis (13%) e os atrasos de pagamento (30%) prejudicaram o investimento das empresas em iniciativas de crescimento estratégico. O mesmo estudo revela que a inflação (72%), o aumento das taxas de juro (65%) e a interrupção de cadeias de abastecimento (64%), são os grandes desafios apontados pelos gestores portugueses.

Já três em cada dez das empresas portuguesas consideram que os seus créditos incobráveis aumentaram em relação a 2021, tendo sido as grandes empresas mais atingidas do que as PME, sendo a média europeia de 25%. O estudo indica ainda que 71% das empresas, ao receberem os pagamentos dos seus clientes mais depressa, também pagariam mais rapidamente aos seus fornecedores, em linha com a Europa, cuja média se situa nos 70%.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*