ISCSP: Criar pessoas com valor

Por: Patrícia Jardim da Palma, coordenadora das pós-graduações em Gestão de Recursos Humanos e em Empreendedorismo e Desenvolvimento do Negócio do ISCSP-ULisboa

É este o desígnio da pós-graduação em Gestão de Recursos Humanos do ISCSP–ULisboa: acreditando que são as pessoas que fazem verdadeiramente a diferença, pretendem criar “Pessoas com valor!”.

No início do ano 2020 a humanidade viu-se confrontada com uma pandemia, que a “empurrou” para a mudança abrupta dos comportamentos, em que formas novas de trabalho, de gestão, de liderança e de interacção social se tornaram, repentinamente, a realidade do dia-a-dia. Perante esta conjuntura, nunca os Recursos Humanos foram tão imprescindíveis, para fazer face aos imprevistos, aprender novos hábitos e colocar em prática estratégias disruptivas, capazes de levar as empresas e instituições a manterem-se vivas e competitivas. Os Recursos Humanos são a essência de qualquer organização e são o que faz verdadeiramente a diferença. E não pretendo com esta afirmação limitar-me apenas a repetir o que tão comumente vem frisado nos manuais de Gestão de Pessoas…

Basta analisar este contexto de pandemia para perceber o que eu pretendo reforçar com esta afirmação. Foram várias as empresas e organizações que, em consequência da drástica redução da facturação, se debatem hoje com graves problemas de tesouraria e processos de despedimento. Claro que é perfeitamente legítima esta posição e não é nada fácil gerir nestes tempos de crise pandémica. Mas vale a pena olhar para o caso de algumas empresas e organizações que, nesta fase dramática, têm conseguido “dar a volta” e reinventar- se. Algumas empresas migraram as suas actividades para as plataformas digitais, outras introduziram serviços de “take away” ou “entrega ao domicílio” e outras ainda redireccionaram os seus recursos para a produção de outros bens (como o grupo têxtil Sonix de Barcelos, que passou a produzir máscaras, como amplamente divulgado na comunicação social).

Estes exemplos mostram bem o que é a capacidade de reinvenção das empresas e organizações e, principalmente, mostram bem a importância dos Recursos Humanos em todo este processo. Por outro lado, a actual conjuntura veio acelerar um conjunto de comportamentos e métodos de trabalho que até então estavam disponíveis, sim, mas que não eram utilizados – como o teletrabalho, as reuniões virtuais ou o ensino distância. E a sua utilização veio demonstrar que foram obtidos ganhos de produtividade, poupança de recursos (para as empresas) e de qualidade de vida (para os trabalhadores, em muito possibilitado pela quase inexistência de deslocações físicas). Estas mudanças têm levado as empresas, e os próprios trabalhadores, a reflectir: será que vale a pena um regresso à normalidade pré-pandemia? E a resposta vai, em grande medida, levar à adopção de estratégias disruptivas por parte das empresas, mediante o sector de actividade, o segmento de clientes ou a tecnologia que tem ao dispor para ganhar vantagem competitiva, claro.

Dadas as mais-valias para as empresas (como a poupança de recursos) e para os colaboradores (por exemplo a produtividade e qualidade de vida), será expectável que um modelo misto de trabalho – que combina a dimensão física com a digitalização – comece a ganhar importância. E é nesse sentido que as competências digitais, mas fundamentalmente as soft skills, como a criatividade, o relacionamento interpessoal ou a liderança (em ambiente virtual), adquirem nesta nova conjuntura um valor diferenciador.

Como tornar as pessoas mais criativas em ambiente de incerteza e volatilidade? Como incrementar as relações interpessoais entre equipas virtuais? Como liderar eficazmente pessoas que trabalham à distância? Já para não falar das ferramentas de atracção, desenvolvimento e retenção de colaboradores que não estão fisicamente no local de trabalho… Como desenvolver a imagem corporativa da empresa e o sentimento de pertença entre os colaboradores? Como reter os talentos nas empresas? Seja qual for o cenário, os Recursos Humanos serão, uma vez mais, cruciais. Estas são apenas algumas das questões que vamos procurar discutir na Pós- -Graduação em Gestão de Recursos Humanos (GRH) do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa (ISCSP-ULisboa), o que reforça o carácter único e diferenciador desta oferta formativa! Convidamos o leitor a juntar-se a nós nesta pós-Graduação e a contribuir activamente para a construção de respostas e planos de acção geradores de mais-valias para as empresas e as suas pessoas!

 

10 anos de gestão de políticas de RH
É neste contexto que a pós-Graduação em Gestão de Recursos Humanos do ISCSP se assume como um factor diferenciador, tanto para as organizações, como para as próprias pessoas, tendo em conta os dois objectivos a que esta oferta formativa se propõe: em primeiro lugar, fornecer as ferramentas e os conhecimentos de vanguarda na área da GRH e, em segundo lugar, desenvolver um mindset líder e inovador, levando as pessoas a aplicar as suas competências e know how no seu trabalho.

Por outras palavras, esta pós-graduação visa transformar os formandos em agentes activos, transformadores das pessoas em talentos nas suas organizações. Neste sentido, a pós-graduação em Gestão de Recursos Humanos destina-se tanto aos profissionais de GRH que pretendem solidificar os seus conhecimentos e ferramentas na área, como também aos gestores e líderes que gerem equipas e que procuram “extrair” o melhor das suas pessoas. Independentemente dos motivos que levam à realização deste curso, o objectivo último será comum: transformar as pessoas em talentos no seu trabalho, capazes de transformar as dificuldades em oportunidades. A pós-graduação em Gestão de Recursos Humanos do ISCSP-ULisboa, que coordeno, reúne um corpo docente de excelência e com provas dadas no mercado da GRH.

Em termos concretos, a pós- -graduação é constituída por 10 módulos, direccionados tanto para as áreas core da Gestão de Pessoas, como também para o desenvolvimento das soft skills. Nesse sentido, este curso inclui módulos relacionados com a atracção de talento, o desenvolvimento de competências, o sistema de recompensas ou o direito do trabalho e da segurança social, como também módulos orientados para o desenvolvimento da liderança ou do empreendedorismo e desenvolvimento do negócio. Compreende ainda dois workshops, orientados para a higiene e segurança no trabalho e para a performance organizacional. Em termos de métodos de aprendizagem, e porque acreditamos que a aprendizagem (para acontecer) é interactiva e contínua, este curso assenta na utilização de métodos activos e experienciais, de role- -playing e de estudos de caso, orientados não apenas para os modelos e ferramentas, mas também para o desenvolvimento de um minset de líder e gestor de pessoas.

A pós-graduação em Gestão de Recursos Humanos do ISCSP-ULisboa vai este ano lectivo para a sua 11.ª edição, pelo que tem na sua base 10 anos de experiência sólida e vitórias na área, potenciada por uma equipa de renome na comunidade RH. Faz parte integrante da àrea de Gestão e Políticas de Recursos Humanos do ISCSP–ULisboa que apresenta, em termos do ensino da GRH, uma oferta educativa completa e em regime de fileira: desde a licenciatura em GRH, passando pelo mestrado em Políticas de Desenvolvimento de RH ao doutoramento também em Políticas de Desenvolvimento de RH. Integra, ainda, uma pós-graduação em Empreendedorismo e Desenvolvimento do Negócio (4.ª edição) – com a missiva de desenvolver empreendedores dentro e fora das organizações – e o Executive Master em Psicologia Positiva Aplicada (9.ª edição) – que visa a aquisição de competências e ferramentas da psicologia positiva.

A par da oferta educativa, esta àrea de Gestão e Políticas de Recursos Humanos tem organizado iniciativas várias, como conferências – entre as quais se destaca o “V Congresso Lusófono de Gestão de Recursos Humanos e Administração Pública”, que vai já na sua 5.ª edição e do qual o ISCSP é membro fundador – ou a publicação de investigação aplicada, entre artigos científicos em revistas internacionais de referência e livros – em parceria com o Centro de Administração e Políticas Públicas (CAPP), centro de investigação avaliado como excelente pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT).

Esta vertente mais académica da área de Gestão e Políticas de Recursos Humanos do ISCSP é complementada com uma vertente mais aplicada, de transferência de conhecimento e serviço à comunidade, materializada na Escola de Liderança e Inovação. Esta Escola é responsável pela implementação tanto de programas de formação e consultoria premium para instituições públicas e empresas privadas (nas áreas da liderança, dos talentos ou da inovação), como também de projectos de desenvolvimento do mindset empreendedor e do desenvolvimento do negócio, em parceria com instituições e municípios. Em súmula: são 10 anos de Gestão de Políticas de RH no ISCSP–ULisboa, o que torna a opção pela pós-graduação em Gestão de Recursos Humanos uma escolha sólida, com provas dadas, mas também inovadora e geradora de aprendizagem e mudança contínuas.

Este artigo faz parte do Caderno Especial “Transformação Digital”, publicado na edição de Julho (n.º 115) da Human Resources.

 

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...