O cansaço é generalizado. É tempo de agir

«É essencial criar soluções para que a fadiga pandémica não atrapalhe a produtividade dos colaboradores, e sobretudo, para que o trabalho não influencie negativamente a sua saúde mental.»

Por Maria de la Calle Vergara, directora de Recursos Humanos da Sodexo Portugal e Espanha

 

Mais de um ano e meio após o anúncio de pandemia, surgem novas palavras relacionadas com a COVID-19. “Cansaço do coronavírus” e “cansado da pandemia” são actualmente duas expressões bastante pesquisadas no Google. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, estima-se que mais de 60% da população mundial apresente estes sintomas.

Muitas são as causas dessa fadiga: o medo de contrair o vírus e de perder alguém, o receio de ficar desempregado, o excesso de tempo em isolamento social, o afastamento dos amigos e parentes e o esgotamento pelo acumular de tarefas pessoais com o trabalho, que tantas vezes acontece no mesmo espaço físico.

Ao mesmo tempo que o trabalho, com o excesso de reuniões e a carga horária mais extensa, deixa os colaboradores mais cansados, a exaustão provocada pela incerteza do que irá acontecer no futuro não é um aspecto facilitador. A fadiga pandémica afecta a nossa saúde mental e as várias pesquisas globais, realizadas recentemente, mostram que a maior parte das pessoas declarou que o seu bem-estar mental piorou no último ano.

Para as empresas, este quadro resultou numa oportunidade de mudança. Verificou-se que seria essencial que os colaboradores tivessem um lugar para conversar sobre este cansaço e esgotamento. Muitos programas foram criados para ampliar a oferta de ferramentas e suporte, criaram-se ainda iniciativas internas para promover a interação entre os colaboradores, cujos resultados e indicadores se revelam muito positivos, como a baixa taxa de absentismo e a produtividade inabalada.

Algumas medidas passam por não estimular reuniões de horários contínuos e marcar reuniões mais curtas, ao flexibilizar horários, a rotina de cada um é impactada de acordo com as suas necessidades. Também outras medidas como criar fóruns para discussão, promover informação confiável, providenciar um ambiente seguro e trazer especialistas para uma conversa na empresa podem trazer bons resultados.

É essencial criar soluções para que a fadiga pandémica não atrapalhe a produtividade dos colaboradores, e sobretudo, para que o trabalho não influencie negativamente a sua saúde mental. É essencial ter um entendimento e uma aceitação da situação e a consciência de que tudo o que se sente é real. Todos estamos a passar por uma das fases mais desafiantes das nossas vidas, por isso, não devemos minimizar o sentimento. É tempo de agir, em conjunto.

 

Ler Mais
pub


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*