Quer ser um líder mais “liberal”? Há vantagens e desvantagens

Todo líder deseja encontrar uma forma de liderar que lhe permita motivar a sua equipa e melhorar a sua performance de maneira inspiradora. Para alcançar esse objectivo, muitos deles adoptam o estilo de liderança liberal que, quando bem aplicado, é capaz de trazer bons resultados para a organização.

 

A liderança liberal permite que a equipa trabalhe com maior autonomia e tome a maior parte das decisões que surgem no dia a dia, o que pode aumentar a satisfação dos colaboradores devido à maior liberdade. Por outro lado, assim como outros estilos de liderança, a liberal tem lados positivos mas também negativos.

Como funciona o estilo de liderança liberal?
O estilo de liderança liberal funciona de forma contrária ao estilo de liderança autoritária. Ou seja, ele oferece a total liberdade para que os membros da equipa tomem as decisões necessárias e escolham os seus métodos de trabalho, sem a intervenção do líder.

Este estilo de liderança é muito usado em startups e equipas que contam com profissionais altamente qualificados e com grande proactividade. Porém, para que funcione bem, na prática, é preciso que o líder inspire um alto grau de confiança na sua equipa e que também confie muito nela. Isso porque é ele quem deve montar as equipas e responsabilizar-se sobre as decisões tomadas, o que exige uma boa gestão de riscos.

O principal papel do líder nesse modelo é estipular metas e objectivos e actuar como um suporte para que a equipa consiga alcançá-los. Portanto, utilizar a liderança liberal em equipas que olhem para o líder como um guia e que têm mais facilidade de trabalhar seguindo ordens, pode ser um grande desafio.

Quais são as vantagens?

1. Tomar decisões de forma mais democrática
Quando o poder de tomar decisões fica concentrado nas mãos do líder, muitas vezes surgem descontentamentos entre alguns membros da equipe. Isso porque nem sempre a visão de todos é considerada o que pode realmente ser um problema.

Profissionais diferentes têm visões diferentes de acordo com a área em que actuam e com as ferramentas que trabalham e todos têm algo a acrescentar durante o processo de tomar decisões. Ao afastar a influência do líder nesse aspecto deixando que os membros da equipa se entendam uns aos outros torna o processo mais democrático e eficaz.

2. Maior autonomia
A maior autonomia proporcionada pela liderança liberal permite que a equipa trabalhe de forma mais criativa e com menos pressão, o que torna o ambiente de trabalho mais leve e motivador. Além disso, os profissionais aprendem a monitorizar o seu próprio desempenho e produtividade para que se consiga entregar as tarefas no prazo, colaborando ao máximo para o alcance dos objectivos do grupo.

3. Capacitação dos membros da equipa
A maior autonomia oferecida pelo estilo de liderança liberal ajuda na capacitação dos membros da equipae, que têm a oportunidade de desenvolver capacidade como iniciativa, a proactividade e resolução de problemas.

Além disso, o trabalho em equipa torna-se mais desafiador, visto que os seus elemetos precisam de trabalhar em conjunto para cumprir todas as decisões que eles mesmos tomaram. Isso ajuda a desenvolver o espírito colaborativo e a capacidade de comunicar de forma clara e objectiva, fundamentais para sejam alcançados bons resultados.

4. Maior conhecimento da organização
Para que os colaboradores consigam tomar boas decisões, terão de entender a fundo a missão da empresa e as particularidades dos projectos em que actuam. A longo prazo, isso resultará em profissionais com grande conhecimento sobre a empresa, do sector em que actuam e muito mais envolvidos com os objectivos da organização.

Quais são as desvantagens?

1. Dificuldade em manter um ritmo produtivo
A grande autonomia proporcionada pela liderança liberal pode tornar-se numa desvantagem quando os membros não são capazes de gerir o próprio ritmo de trabalho para manter uma elevada produtividade. Isso porque qualquer impasse causado por decisões erradas ou mal entendidos por parte dos membros da equipa pode levar a perdas de tempo e confusões que podem comprometer o andamento dos projectos.

2. Falta de organização
A tomada de decisões pelos membros da equipa faz com que eles se concentrem nas tarefas em que são mais qualificados para executar, o que é uma grande vantagem. Porém, isso exige que consigam organizar-se de forma adequada para que nada falte e que não surjam erros inesperados, que precisarão do apoio do líder para serem resolvidos.

3. Pouca independência
O líder não vai estar sempre por perto delegando tarefas nos colaboradores e muitos deles habituam-se com esse tipo de abordagem, o que pode resultar em colaboradores perdidos e sem conseguirem executar as suas funções de forma independente, o que pode comprometer os resultados.

4. Enfraquecimento da figura do líder
A pouca influência do líder durante o processo de tomada de decisão e execução dos trabalhos pode enfraquecer a sua figura, já que os colaboradores podem ter a impressão de que só eles estão envolvidos. É fundamental que o líder procure sempre manter a sua presença, fornecendo os recursos necessários e ajudando no que for possível, sem tirar a autonomia da equipa.

 

 

 

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...