Sustentabilidade e as skills que podem marcar a diferença

Por Luís Roberto, Managing Partner da Comunicatorium e Professor convidado do ISCSP-ULisboa

A sustentabilidade está na agenda das empresas.

A promoção de práticas e ações com o objetivo de proporcionar a sustentabilidade nas suas diferentes dimensões, integram hoje as estratégias do negócio de muitas empresas, traduzindo-se paralelamente na transmissão de confiança e de segurança aos investidores, e numa cooperação ativa com outras partes interessadas.

O público financeiro passou a preocupar-se com os critérios de sustentabilidade ESG – Environmental, Social and Governance,  tornando-se em indicadores vitais  para a solidez da reputação das empresas e para o sucesso do negócio a longo prazo.

O European Green Deal é a estratégia de crescimento que visa tornar a Europa climate neutral até 2050, pelo que a construção de um sistema financeiro sustentável, que contribua para a transição climática, é fundamental.

O papel das empresas responsáveis na resposta aos seus desafios internos, através da adoção de práticas que envolvam os seus colaboradores e o nível de compromisso com as equipas, vai ser determinante para a sustentabilidade das empresas.

As empresas responsáveis marcarão a diferença pelo reforço dos seus códigos de ética e de conduta, bem como na formalização de regras de gestão internas claras e transparentes  aplicadas ao recrutamento, ao desenvolvimento e formação, ao equilíbrio vida profissional-familiar, saúde e segurança, diversidade e inclusão.

Em 2024, é esperado que 35% das empresas na Europa estejam a implementar os seus projetos com impacto nos setores onde operam.

Deseja-se que as empresas sejam capazes de continuar a contribuir fortemente para o cumprimento dos objetivos do desenvolvimento sustentável,  e se empenhem no apoio às mudanças sistémicas para alcançar uma Europa sustentável.

Como parte de todo este esforço, as empresas precisam criar estruturas de sustentabilidade adequadas à sua dimensão,  responsáveis por mudar os seus modelos de negócio e garantir o desenvolvimento de novos processos,  e com isso, as  novas oportunidades para  gerir departamentos e áreas de sustentabilidade, começam a ser óbvias.

As empresas estão a estabelecer novas funções sofisticadas, com responsabilidade pela gestão da sua sustentabilidade, no que agora se tornou um mercado competitivo.

Nos últimos tempos, várias têm sido as vezes que sou questionado por gestores e alunos, sobre  as skills que podem marcar a diferença no desempenho destas funções, que o mercado agora oferece.

Partilho aqui, a minha visão.

  1. Conhecer o assunto

A chave para se ser capaz de gerir a sustentabilidade, é ter um bom conhecimento prático das questões, princípios, metas e indicadores que ela cobre,  para poder aplicá-los em diferentes circunstâncias.

Saber as motivações que levaram à criação da Agenda 2030,  conhecer a estratégia e prioridades definidas pela Comissão Europeia e pelo Estado Português, ajudam-no a decidir por onde partir e a ter uma visão integrada da sustentabilidade.

  1. Influenciar pessoas

É preciso influenciar para conquistar, e esse será o primeiro desafio do responsável pela sustentabilidade da empresa.

Encontrar formas de influenciar o Management é fazê-los ver as vantagens de comprar o “programa” e a chave para o sucesso.

Segundo um estudo do CSR Europe, apenas 47% das empresas desenvolvem iniciativas de sustentabilidade, alinhadas com os objetivos do desenvolvimento sustentável.

  1. Comunicação

A comunicação eficaz é absolutamente vital, quando se trata de comunicar sustentabilidade, pelo que é recomendado desenvolver relacionamentos confiáveis ​​com todas as partes interessadas.

É essencial envolver os colaboradores em torno dos objetivos,  e prepará-los para as  transformações e as oportunidades de negócio.

A construção de conteúdos que possam ser partilhados e que possam ser vistos como boas práticas de sustentabilidade, ajudam a aumentar a credibilidade do processo.

  1. Compreender o negócio

Compreender o negócio e as atividades do seu core business é absolutamente essencial.

É preciso estar totalmente familiarizado com o modelo de negócio. Com funciona, e quais são os seus principais riscos e oportunidades.

O seu objetivo é o de integrar a estratégia de sustentabilidade na estratégia do negócio, e  torná-lo o mais sustentável possível.

Segundo o Business & Sustainable Development Commission, estima-se que as oportunidades de negócio com a implementação dos ODS’s possam gerar até no $12k biliões de dólares em valor de negócio.

  1. Saber vender

Poderia-se pensar que não são exigidas skills de vendas, para quem trabalha em sustentabilidade. Não será exactamente assim.

A sustentabilidade é um processo de vendas em que é necessário pensar nos benefícios que se quer “vender” a outras pessoas,  e como responder correctamente às questões quando a decisão for de não “comprar” a ideia.

  1. Gestão de Projeto

A capacidade de desenvolver uma estratégia de sustentabilidade, e implementar programas capazes de atingir os objetivos, é a chave do sucesso.

É preciso “fazer acontecer”, trabalhando os processos organizacionais existentes, encontrando oportunidades para inovar,  usando metodologias, novos modelos e abordagens capazes de contornar eventuais constrangimentos e obstáculos.

  1. Pesquisa e Análise

O entendimento  sobre o que os stakeholders pensam, faz parte do modelo para integrar a sustentabilidade na estratégia de negócio.

A avaliação dos impactos atuais, positivos e negativos que as suas atividades empresariais têm  em toda a cadeia de valor, ajudam-no a identificar as áreas de atuação e a definir o sustainability roadmap. 

Se se quer ser eficaz, é preciso  entender os métodos básicos de pesquisa e ser capaz de distinguir a percepção de qualidade, do menos importante.

  1. Métricas e Reporting

Uma das etapas do alinhamento da sustentabilidade com a estratégia do negócio, é medir os resultados alcançados, pelo que ter alguma compreensão da análise de dados e métricas, é necessário.

As oportunidades para inovar, desenvolver novos produtos e soluções, ou atingir novos segmentos de mercado em resultado da estratégia de sustentabilidade, resultam da avaliação das metas, métricas e kpi’s definidos.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*