Vale a pena ter um Coach ?

Adelino Cunha

Fundador da I Have The P0wer

Há alguns anos atrás ninguém ouvia falar de Coaching nem de PNL. Lembro-me, em 2002, quando criei a marca I HAVE THE POWER, que quando me perguntavam o que fazia, respondia, tal como hoje, que treinava pessoas para o êxito. Alguns ficavam a olhar para mim como se eu fosse de Marte.

Era um tempo em que para muitos as coisas corriam melhor do que hoje, em que havia muitos monopólios disfarçados no mercado, em que com pouco esforço se ganhava dinheiro, em que as pessoas compravam e pouca gente vendia, em que os níveis de competição ainda eram baixos, em que havia sectores onde estavam poucos players, em que o número de divórcios era inferior ao actual, em que muitos empresários achavam que as pessoas eram “recursos humanos” (sublinho “recursos”), em que se tinhas uma fobia ficavas com ela até morrer porque não havia como a curar, em que a formação era um mal menor que tinha de ser gratuita e mesmo assim as pessoas até faziam uma favor em aprender,… enfim, era um mundo diferente.

Quando falo em diferente, digo diferente por cá, no “jardim à beira mar plantado”, porque fora do “Jardim” a competição, a exigência, as capacidades, etc., já existiam.

Agora é diferente.

Para triunfar e ganhares dinheiro a sério tens de ser mesmo bom, senão desapareces do mercado.

Monopólios – já restam poucos. Tens concorrência, e em alguns sectores ela é feroz, pois trata-se da luta pela sobrevivência.

Para vender, tens de saber vender, motivar vendedores, e de preferência tê-los auto-motivados, até porque muitos não são colaboradores da empresa, são independentes.

Para manteres relacionamentos tens de aprender como fazê-lo e saber gerir melhor as tuas emoções e as dos outros.

Para que a tua empresa cresça, já não podes ter recursos humanos apenas, preocupado com o custo do imobilizado da secretária que eles ocupam, tens de reter e ajudar a desenvolver talentos, para que eles acreditem neles, tenham gosto no que fazem e sintam uma vontade compulsiva de inovar.

Neste novo mundo, em que tantos se sentem sós sem saber o que fazer ou se o que estão a fazer é o correcto, que ajuda podes encontrar?

Podes ouvir conselhos, fazer de conta que sabes e não praticar o que sabes, tudo isso é possível, mas também já sabes onde tudo isso vai terminar.

A minha sugestão é uma: busca um bom Coach.

Ele, se for competente, não te vai dar muitas respostas, vai é fazer-te perguntas (muitas perguntas!), para que tu descubras as soluções e percebas que tu tens o poder.

Trabalha com ele, esforça-te, supera-te, desenvolve-te, deixa que as perguntas que ele te vai fazer não fiquem sem resposta.

Não fiques pela tomada de consciência, pois isso não gera resultados. Em contrapartida, age, age muito, em cada dia, mais ocupado em semear do que preocupado por ainda não estar a colher.

Garanto-te que vais saborear, muito em breve, o poder do Coaching na tua vida, através da nova pessoa que vais ser e dos resultados que vais mostrar.

Afinal, é mesmo pelos frutos que se conhecem as árvores.

E há quem pergunte se vale a pena ter um Coach …

Notícias relacionadas:

Coaching – The Power Tool?

“É uma intervenção importante nos negócios” –  Entrevista a Joseph O’Connor, co-fundador da International Coaching Community

Tipologias e benefícios do coaching

Em tempos de crise… – Opinião de Sandra Derom, directora-geral da Spin to Top

 

 

 

 

 

Ler Mais
Comentários
A carregar...

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
Trotinetes hive chegam à app Free Now
Automonitor
Nissan LEAF em modo drift