10 Anos de gestão de pessoas: O que mudou e o que se perspectiva?

Na edição comemorativa do seu 10.º aniversário, a Human Resources volta a dar voz aos profissionais – responsáveis máximos e directores de Recursos Humanos de empresas de diversos sectores –, porque são eles os “actores” da(s) mudança(s) e da evolução que a Gestão de Pessoas tem conhecido em Portugal.

 

Por Ana Leonor Martins

 

Em 2010 chegava às bancas o primeiro número da Human Resources Portugal e o tema de capa fez-se em forma de pergunta: “Por que não chegam os directores de Recursos Humanos ao topo”. De lá para cá, podem continuar a não ser muitos os casos a desmentir esta premissa, mas parece evidente que a Gestão de Pessoas tem, sem dúvida, e definitivamente, um papel mais estratégico nas organizações. E a actual pandemia, que colocou o mundo perante uma crise de saúde pública, veio evidenciar que esta é, inevitavelmente, uma área central e imprescindível ao sucesso dos negócios. Se se tornou quase cliché a afirmação “são as pessoas que fazem a diferença”, então a sua gestão não pode deixar de ser tida em conta da definição da estratégia.

Será que das palavras já passámos à acção? Em uma década, o que verdadeiramente mudou? Entretanto, 2020 teve um início ensombrado pela consciencialização de que um tal de vírus altamente contagioso, activo na China, podia chegar à Europa. Ninguém – Estados e empresas – se preparou, mas ele chegou mesmo. E, no mundo corporativo, para além de assegurar a continuidade do negócio, foi a Gestão de Pessoas que teve de assumir a linha da frente. Porque, de um dia para o outro, foi preciso colocar equipas inteiras a trabalhar em casa (num País onde o teletrabalho estava longe de ser uma realidade generalizada). Nas empresas que actuam em sectores essenciais, as equipas existentes não chegaram para dar resposta ao pico na procura e foi preciso recrutar massivamente. Noutros casos ainda, foi preciso recorrer ao lay-off. A legislação excepcional que surgia todos os dias, a gestão das emoções, a gestão à distância… as respostas não vieram dos manuais académicos. Mas, como revela o XXXI Barómetro Human Resources, publicado nesta edição (ver página 56), os gestores de pessoas têm tido um papel de “parceiro da gestão de topo, na gestão da crise a na criação de soluções”.

A pandemia não passou e estamos perante um “novo normal”, com desafios sem precedentes. Será que os temas e as prioridades da Gestão de Pessoas mudaram? E mudaram definitivamente ou provisoriamente? O que vai, irreversivelmente, ser diferente no mundo do trabalho? Daqui a 10 anos, a relevância estratégica dos directores de Recursos Humanos já será um dado adquirido?

Para reflectir sobre estes temas, sobre a realidade passada, presente e futura, convidámos mais de duas dezenas de especialistas. E são os seus testemunhos que agora apresentamos, não sem antes agradecer, a todos os que têm acompanhado a Human Resources ao longo destes 10 anos, contribuindo para o seu sucesso, crescimento e relevância incontornável no mercado. O nosso muito obrigada. Continuamos a contar convosco. Podem também contar connosco, neste caminho de desafios.

 

Nesta edição pode ler os testemunhos de:

Catarina Horta, directora de Capital Humano do Novo Banco

Carla Gouveia, Executive coach & Career advisor

Catarina Tendeiro, directora de Recursos Humanos do Grupo Ageas Portugal

Clara Raposo, presidente do ISEG – Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa

Diogo Alarcão, CEO da Mercer Portugal

Gonçalo Rebelo de Almeida, administrador do Grupo Vila Galé

Helen Duphorn, directora-geral da IKEA Portugal

Paulo Teixeira, director-geral da Pfizer Portugal

Maria João Martins, Managing partner da My Change

Nelson Pires, director-geral e administrador da Jaba Recordati Portugal / Recordati UK / Recordati Ireland

Nuno Gonçalo Simões, director de Capital Humano da PwC

Pedro Fontes Falcão, gestor e professor universitário

Pedro Ramos, director de Recursos Humanos da TAP Air Portugal

Pedro Raposo, director de Recursos Humanos do Banco Portugal

Ricardo Nunes, director de Pessoas e Organização da Novabase

Teresa Abecasis, directora de Pessoas da Galp

Rogério Campos Henriques, presidente da Comissão Executiva da Fidelidade

Rui Miguel Nabeiro, administrador do Grupo Nabeiro-Delta Cafés

Tiago Brandão, director-geral da The Browers Company

Sandra Brito Pereira, directora de Recursos Humanos do Banco Montepio

Vasco Antunes Pereira, CEO da Lusíadas Saúde

 

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...