Como ser um life long learner? 7 dicas práticas

ROCK IN RIO INNOVATION WEEK

Qual foi a última vez que você aprendeu algo novo? Uma nova competência, uma informação relevante para seu dia-a-dia profissional, um novo hobby ou idioma? Se respondeu ontem, a semana passada ou nos últimos meses, então é um long life learner. Se não é, mas gostava de ser, leia este artigo.

Por Michelle Aisenberg, curadora de Conteúdo do Rock in Rio Innovation Week

 

No bom e velho português, ser um long life learner quer dizer que é alguém aberto e disposto a aprender sobre diferentes temas, a partir de diferentes fontes, ao longo da vida.

A sua curiosidade está sempre aguçada e é o motor que o faz estar sempre actualizado sobre temas relevantes para sua vida pessoal e profissional. Isso é óptimo!

 

Aprender na escola x aprender para sempre

A minha geração ainda faz parte da turma que foi criada para fazer escola, faculdade, estágio, começar a trabalhar e encontrar a estabilidade. Uma pós-graduação ou um mestrado até eram bem-vindos. Mas, depois disso, mãos à obra e foco na aposentadoria.

Felizmente, muitos ainda conseguimos sair a tempo da linha de montagem e fomos percebendo algo que já é uma realidade para as gerações que seguiram: quem deixa de aprender perde-se no ritmo das mudanças, deixa de ter novos interesses e de ser interessante e corre o risco de não explorar todo o seu potencial ao longo da vida. Um desperdício, não é?

 

Você é o que aprende (e como aprende)

No seu Instagram, a dinamizadora do Rock in Rio Innovation Week, Camila Pires, conta que, em 2018, Klaus Schwab, fundador do Fórum Económico Mundial, explicou que é fundamental que os indivíduos adoptem uma abordagem proactiva para a sua própria aprendizagem ao longo da vida.

Esse pensamento está inserido no contexto da Quarta Revolução Industrial, que já exige uma rápida transição das competências individuais e organizacionais para uma adaptação às novas tecnologias emergentes.

Isso quer dizer que você é o grande responsável pela sua aprendizagem e precisa estar sempre atento a diferentes formas de aprender. Ninguém está a dizer que, a partir de agora, é preciso emendar uma faculdade ou pós-graduação ou mestrado no outro. Ou que nunca mais você vai sair da sala de aula.

Pelo contrário: a facilidade do acesso a novos conteúdos, em formatos variados e muitas vezes gratuitos é o grande trunfo para que você esteja sempre a aprender. O que é diferente de estar sempre a estudar.

 

Como ser um life long learner?

Segundo Camila, para ser uma pessoa dedicada a aprender ao longo da vida, é importante ter uma postura activa e assumir responsabilidade pelo seu próprio processo de aprendizagem. E dá algumas dicas para isso:

  1. Defina como você quer ser reconhecido(a);
  2. Identifique três principais temas de interesse para estudo;
  3. Pesquise fontes de consulta confiáveis e pessoas que são referência nesses temas;
  4. Defina metas de aprendizado voltadas à aplicação prática;
  5. Reserve tempo na agenda para investir no seu próprio desenvolvimento;
  6. Partilhe o que aprendeu;
  7. Mantenha a curiosidade, o olhar de aprendiz principalmente sobre assuntos que já domina.

 

Explore o seu potencial

Se o mundo está em constante evolução, ao adoptarmos uma postura proactiva de acompanhar as suas mudanças, também estamos no caminho de evoluir, mudar e crescer.

Isso pode significar estarmos abertos a múltiplas oportunidades e à possibilidade de explorarmos o nosso potencial de uma forma que nem imaginávamos possível.

A Randstad, Golden Sponsor do Rock in Rio Innovation Week, é uma empresa especialista em Recursos Humanos, com a missão de moldar o mundo do trabalho, com um foco especial nas pessoas.

Segundo Mariana Canto e Castro, HRD & Legal Randstad Portugal, «a capacidade para, ao longo da vida, nos mantermos despertos, curiosos, interessados e disponíveis para aprender é essencial; enquanto profissionais e enquanto pessoas. Na verdade, cada um de nós, é apenas um só: não há dois “eu’s”; é esse “eu” holístico, que fica tão mais rico e completo quanto maior for a qualidade dos conteúdos de aprendizagem, que ao logo da nossa vida deve fluir de modo natural e contínuo, retirando ideias, conhecimentos, lições e novas perspectivas, quer de formas mais tradicionais de ensino, quer de todas as experiências com que nos cruzamos ou que procuramos. Ir a uma exposição de arte, assistir a um concerto ou contemplar em reflexão uma paisagem podem proporcionar lições de vida e de trabalho tão ricas como o melhor MBA em gestão do mundo. Aquilo que aprendemos é tanto melhor, mais rico, profundo e com maior significado, quanto a nossa vontade de aprender e nos transformarmos seja também.”

Saiba mais sobre o assunto no artigo “Está a viver à altura do seu potencial?”, no site da Randstad.

 

 

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...