EDP: Comunicar melhor e mais rápido

Consciente de que a Comunicação Interna é uma ferramenta estratégica, a EDP tem procurado desenvolver esta área, de modo a assegurar os canais necessários para chegar aos diferentes públicos internos, com uma mensagem clara, com vista a aumentar o sentimento de pertença.

 

Encarando a Comunicação Interna como um processo organizacional através do qual se disponibiliza aos colaboradores um conjunto de informações sobre o seu trabalho, bem como sobre a própria empresa, o seu negócio, propósito e estratégia, a EDP tem nela um dos seus focos principais. Motivar os colaboradores, influenciando o bom desempenho das suas tarefas, ao mesmo tempo que os integra e envolve, é essencial para alcançar o sucesso e bons resultados. Presente em 19 geografias, a EDP conta hoje com mais de 11 500 colaboradores. E é através da promoção de uma boa e eficaz Comunicação Interna que a empresa consegue que este universo de pessoas se identifique com a organização e com os seus valores, incentivando a uma cultura comum, refere em entrevista, Rui Cabrita, director de Comunicação da EDP.

 

Com um tão vasto universo de colaboradores, que desafios identificam hoje
no âmbito da Comunicação Interna?
Independentemente do número de colaboradores, os desafios passam por assegurar que há uma comunicação clara através dos vários níveis da organização, que há um sentimento de partilha e de pertença reforçado pela Comunicação Interna e de que os canais utilizados são os mais eficazes para partilhar toda a informação no dia-a-dia.

E de que forma a EDP dá resposta a esses desafios? Ou seja, que estratégia assumem?
A nossa estratégia passa por assegurar uma auscultação constante às equipas e a todos os stakeholders da Comunicação Interna para garantir que as mensagens e os canais estão adaptados às necessidades da organização. É através deste contacto permanente que vamos desenvolvendo conteúdos, formatos e canais para assegurar a eficácia da comunicação.

Actualmente, quais são os pilares principais em que assenta a Comunicação
Interna na EDP?
Na EDP temos três pilares fundamentais. Primeiro, a relevância da informação, para assegurar que a nossa comunicação segue uma lógica de qualidade e não de quantidade. Depois, o feedback contínuo entre equipas de comunicação e com o utilizador final, de modo a garantir a adaptação dos formatos. E, por fim, a inovação, procurando trazer sempre algo de novo para as pessoas, seja nos conteúdos, seja na forma como esses conteúdos são entregues e consumidos.

Olhando para as organizações em geral, que temas identificam como sendo prioritários para o sucesso neste âmbito?
A transmissão do “propósito”, do foco, seja da organização, das equipas ou do próprio colaborador, é hoje um dos temas cruciais na Comunicação Interna.

E endereça a EDP esse tema?
Este tema é trabalhado através de um conjunto de iniciativas de comunicação, quer presenciais quer digitais, que apresentam de forma clara o que são os nossos objectivos, qual o papel e o impacto da EDP na sociedade e qual o impacto do desempenho das nossas equipas. Através da partilha de histórias, projectos e casos de sucesso há um reforço da noção do propósito.

Notam que isso tem influência no engagement dos colaboradores?
O engagement resulta de um trabalho constante que é feito não só pela equipa de Comunicação, mas também pelas áreas de Recursos Humanos, de Cultura, entre outras que, de forma integrada, criam as condições para que se desenvolva um sentimento de pertença em relação à EDP, a partir do momento em que os colaboradores se juntam à empresa e depois ao longo de toda a sua experiência de trabalho.

Será também uma ferramenta para ajudar à retenção de talento, um dos temas mais prementes nas empresas actualmente…
Sim. Tal como no engagement, a retenção resulta de um conjunto de iniciativas
trabalhadas por várias áreas, sendo a Comunicação Interna uma parte fundamental na disponibilização de informação. É por isso que os conteúdos da nossa Intranet estão em grande parte alinhados com a jornada do colaborador ao longo do seu percurso na empresa, para que todos se sintam informados e tenham conhecimento das iniciativas e oportunidades que estão disponíveis, o que contribui para uma maior retenção.

Quais as ferramentas que têm sido utilizadas para esse propósito?
Temos apostado tanto em soluções digitais como em soluções móveis, que permitam acompanhar a flexibilidade e a mobilidade das novas formas de trabalhar. Ao longo do último ano, fizemos uma aposta significativa na Intranet do grupo, com o lançamento de uma nova versão com mais funcionalidades, adaptável a qualquer dispositivo e acessível em qualquer local. É o verdadeiro “hub” onde as pessoas encontram informações, serviços, vídeos e todos os dados que necessitam para o seu dia-a-dia. Temos também uma forte aposta na nossa rede social interna, o Workplace by Facebook, que traz uma grande componente de partilha de conteúdos e de bi-direccionalidade na nossa comunicação.

A Comunicação Interna também desempenha um papal importante na integração de novos elementos na empresa…
Quem chega a uma nova empresa precisa de um conjunto de informações – sobre procedimentos, negócio, benefícios, oportunidades, entre outras – e o papel da Comunicação Interna e das nossas ferramentas, como a Intranet, a TV, o Workplace ou a Revista, é o de disponibilizar essa informação de forma clara e facilmente acessível para que a integração seja mais simples.

A comunicação é sempre importante, seja na transmissão de conhecimento, na integração ou até na retenção de pessoas. Trabalhamos com foco em todos estes aspectos.

E numa organização que se pretende cada vez mais ágil, assumirá um papel ainda mais estratégico…
O papel fundamental é o de assegurar que, por ser mais ágil, a organização não perca partilha de informação. Depois, tem também o papel de promover a agilidade da própria comunicação, garantir que todos dispõem dos dados disponíveis para tomar decisões de forma rápida, acompanhar os projectos e as novidades da empresa “em cima do acontecimento”, fomentar uma cultura de menores barreiras e maior circulação de informação.

Comunicar melhor e mais rápido é uma necessidade de todos na empresa. Que papel desempenha aqui o avanço tecnológico?
A partir do momento em que temos plataformas e soluções que nos permitem
chegar a todas as pessoas da EDP, independentemente da sua localização
geográfica, em que conseguimos juntar conteúdos multimédia, em que as próprias pessoas podem gerar e distribuir conteúdos, temos suporte para comunicar melhor e mais rápido. E isso claro que advém dos avanços que registámos na tecnologia. A Intranet de que dispomos hoje, a versão digital da nossa edpON Revista, a simplicidade com que fazemos transmissões em directo para a edpON TV, tudo isto resulta de avanços tecnológicos e tem permitido comunicar melhor e mais rápido.

A edpON TV foi uma grande aposta da empresa, há já 10 anos. Hoje, podem dizer que foi uma aposta ganha, e que continua em crescimento? Que objectivos vos permitiu alcançar?
O vídeo tem ganho um peso cada vez maior em qualquer tipo de comunicação, seja interna ou externa. Soubemos antecipar essa tendência com o lançamento da edpON TV, há mais de 10 anos e, desde essa altura, esta plataforma tem cumprido o seu propósito de divulgar conteúdos das várias geografias do grupo e de mostrar o que é o nosso mundo.

Além disso, o know-how da equipa de vídeo é hoje um pilar essencial das equipas de comunicação, e há cada vez mais sinergias entre comunicação interna e externa.

A transparência da comunicação garante uma melhor eficiência e produtividade?
A transparência da comunicação é, antes de mais, um reflexo dos valores da empresa e da forma como queremos que seja o relacionamento na EDP. Depois, a transparência da comunicação dá as ferramentas necessárias às equipas para que tenham mais dados disponíveis para puderem tomar as suas decisões, seja em projectos individuais, seja na estratégia de uma equipa, e isso acaba por se traduzir em maior eficiência e maior produtividade.

A EDP foi considerada a empresa com a melhor Comunicação Interna pelos leitores da revista Human Resources, no âmbito dos prémios 2019. O que significa este prémio para a EDP?
Temos tido a honra de ser distinguidos com este prémio nos últimos anos e para nós é extremamente gratificante ver que o trabalho desenvolvido diariamente pela equipa de Comunicação Interna da EDP consegue atravessar as fronteiras da organização e ser reconhecida externamente. É, por isso mesmo, motivo de grande orgulho para nós e é também uma grande responsabilidade para continuarmos a inovar e a justificar receber estas distinções.

Olhando para o futuro, quais as maiores preocupações da EDP relativamente a uma boa Comunicação Interna?
Garantir que possuímos os canais necessários para chegar aos diferentes
“públicos” internos da EDP – seja por uma questão de funções, de faixa etária ou de localização geográfica – e que a mensagem é adequada para ter impacto e contribuir para maior informação e maior sentimento de pertença na nossa empresa.

Estamos no início de uma nova década. Com a chegada de 2020 que tendências identificam para curto/médio prazo relativamente a este tema?
No caso da Comunicação Interna, as tendências serão para maior flexibilidade no acesso à informação, maior personalização com uma comunicação cada vez mais dirigida, maior customização das preferências de consumo de informação e mais intervenção bi-direccional, reduzindo a distância entre quem emite e quem recebe a mensagem.

 

Este artigo foi publicado na edição de Fevereiro da Human Resources, no caderno especial sobre Comunicação Interna nas empresas.

Ler Mais
Comentários
A carregar...

MULTIPUBLICAÇÕES

[vc_multibar_post nc_mp_bar_revive=”JTBBJTNDc2NyaXB0JTIwdHlwZSUzRCUyN3RleHQlMkZqYXZhc2NyaXB0JTI3JTNFJTNDJTIxLS0lMkYlMkYlM0MlMjElNUJDREFUQSU1QiUwQSUyMCUyMCUyMHZhciUyMG0zX3UlMjAlM0QlMjAlMjhsb2NhdGlvbi5wcm90b2NvbCUzRCUzRCUyN2h0dHBzJTNBJTI3JTNGJTI3aHR0cHMlM0ElMkYlMkZtdWx0aXB1YmxpY2Fjb2VzLWFkcy5jb20lMkZ3d3clMkZkZWxpdmVyeSUyRmFqcy5waHAlMjclM0ElMjdodHRwJTNBJTJGJTJGbXVsdGlwdWJsaWNhY29lcy1hZHMuY29tJTJGd3d3JTJGZGVsaXZlcnklMkZhanMucGhwJTI3JTI5JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwdmFyJTIwbTNfciUyMCUzRCUyME1hdGguZmxvb3IlMjhNYXRoLnJhbmRvbSUyOCUyOSUyQTk5OTk5OTk5OTk5JTI5JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwaWYlMjAlMjglMjFkb2N1bWVudC5NQVhfdXNlZCUyOSUyMGRvY3VtZW50Lk1BWF91c2VkJTIwJTNEJTIwJTI3JTJDJTI3JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwZG9jdW1lbnQud3JpdGUlMjAlMjglMjIlM0NzY3IlMjIlMkIlMjJpcHQlMjB0eXBlJTNEJTI3dGV4dCUyRmphdmFzY3JpcHQlMjclMjBzcmMlM0QlMjclMjIlMkJtM191JTI5JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwZG9jdW1lbnQud3JpdGUlMjAlMjglMjIlM0Z6b25laWQlM0QxMDIlMjIlMjklM0IlMEElMjAlMjAlMjBkb2N1bWVudC53cml0ZSUyMCUyOCUyNyUyNmFtcCUzQmNiJTNEJTI3JTIwJTJCJTIwbTNfciUyOSUzQiUwQSUyMCUyMCUyMGlmJTIwJTI4ZG9jdW1lbnQuTUFYX3VzZWQlMjAlMjElM0QlMjAlMjclMkMlMjclMjklMjBkb2N1bWVudC53cml0ZSUyMCUyOCUyMiUyNmFtcCUzQmV4Y2x1ZGUlM0QlMjIlMjAlMkIlMjBkb2N1bWVudC5NQVhfdXNlZCUyOSUzQiUwQSUyMCUyMCUyMGRvY3VtZW50LndyaXRlJTIwJTI4ZG9jdW1lbnQuY2hhcnNldCUyMCUzRiUyMCUyNyUyNmFtcCUzQmNoYXJzZXQlM0QlMjclMkJkb2N1bWVudC5jaGFyc2V0JTIwJTNBJTIwJTI4ZG9jdW1lbnQuY2hhcmFjdGVyU2V0JTIwJTNGJTIwJTI3JTI2YW1wJTNCY2hhcnNldCUzRCUyNyUyQmRvY3VtZW50LmNoYXJhY3RlclNldCUyMCUzQSUyMCUyNyUyNyUyOSUyOSUzQiUwQSUyMCUyMCUyMGRvY3VtZW50LndyaXRlJTIwJTI4JTIyJTI2YW1wJTNCbG9jJTNEJTIyJTIwJTJCJTIwZXNjYXBlJTI4d2luZG93LmxvY2F0aW9uJTI5JTI5JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwaWYlMjAlMjhkb2N1bWVudC5yZWZlcnJlciUyOSUyMGRvY3VtZW50LndyaXRlJTIwJTI4JTIyJTI2YW1wJTNCcmVmZXJlciUzRCUyMiUyMCUyQiUyMGVzY2FwZSUyOGRvY3VtZW50LnJlZmVycmVyJTI5JTI5JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwaWYlMjAlMjhkb2N1bWVudC5jb250ZXh0JTI5JTIwZG9jdW1lbnQud3JpdGUlMjAlMjglMjIlMjZjb250ZXh0JTNEJTIyJTIwJTJCJTIwZXNjYXBlJTI4ZG9jdW1lbnQuY29udGV4dCUyOSUyOSUzQiUwQSUyMCUyMCUyMGlmJTIwJTI4ZG9jdW1lbnQubW1tX2ZvJTI5JTIwZG9jdW1lbnQud3JpdGUlMjAlMjglMjIlMjZhbXAlM0JtbW1fZm8lM0QxJTIyJTI5JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwZG9jdW1lbnQud3JpdGUlMjAlMjglMjIlMjclM0UlM0MlNUMlMkZzY3IlMjIlMkIlMjJpcHQlM0UlMjIlMjklM0IlMEElMkYlMkYlNUQlNUQlM0UtLSUzRSUzQyUyRnNjcmlwdCUzRSUzQ25vc2NyaXB0JTNFJTNDYSUyMGhyZWYlM0QlMjdodHRwJTNBJTJGJTJGbXVsdGlwdWJsaWNhY29lcy1hZHMuY29tJTJGd3d3JTJGZGVsaXZlcnklMkZjay5waHAlM0ZuJTNEYTgzYzMyNTUlMjZhbXAlM0JjYiUzRElOU0VSVF9SQU5ET01fTlVNQkVSX0hFUkUlMjclMjB0YXJnZXQlM0QlMjdfYmxhbmslMjclM0UlM0NpbWclMjBzcmMlM0QlMjdodHRwJTNBJTJGJTJGbXVsdGlwdWJsaWNhY29lcy1hZHMuY29tJTJGd3d3JTJGZGVsaXZlcnklMkZhdncucGhwJTNGem9uZWlkJTNEMTAyJTI2YW1wJTNCY2IlM0RJTlNFUlRfUkFORE9NX05VTUJFUl9IRVJFJTI2YW1wJTNCbiUzRGE4M2MzMjU1JTI3JTIwYm9yZGVyJTNEJTI3MCUyNyUyMGFsdCUzRCUyNyUyNyUyMCUyRiUzRSUzQyUyRmElM0UlM0MlMkZub3NjcmlwdCUzRSUwQQ==”]