Internacional: Como ser um líder estratégico

Antes de mais, importa perceber o que é ser estratégico. Há três tarefas nas quais os gestores, sejam novos ou experientes, devem investir mais tempo para se tornarem melhores líderes estratégicos.

 

Por Julie Zhuo, vice-presidente de design de produto no Facebook

 

A minha carreira no Facebook começou em 2006, como a primeira estagiária da empresa. Três anos mais tarde, tornei-me gestora, tinha então 25 anos. Esta trajectória trouxe consigo inúmeros desafios, erros e lições, muitos dos quais se encontram no livro que escrevi “The making of a manager”, um manual para recém-gestores.

Uma das principais áreas de desenvolvimento para mim, como manager, foi a estratégia. À medida que avançava na carreira, sabia que havia a expectativa de que o meu trabalho se tornasse cada vez mais estratégico. Mas o que significa isso? Para mim significava:

1.Definir objectivos métricos;
2.Pensar de forma inovadora para ter novas ideias;
3.Trabalhar mais e motivar os outros a trabalharem mais;
4. Escrever longos relatórios;
5. Criar estruturas;
6. Desenhar gráficos num quadro.

Como resultado, tentei fazer todas as coisas mencionadas em cima. Tive ideias. Escrevi relatórios longos e épicos. Familiarizei-me com a linguagem dos key performance indicators (KPI) e das avaliações. Antes de cada nova tarefa, sentia que estava a seguir o caminho certo. Isto, pensava eu, deve ser criar estratégia.

Infelizmente, estava a fazer o equivalente a dedilhar uma guitarra a pensar que estava a criar música. O principal problema foi que não compreendia realmente o que era a estratégia. Como nunca ninguém me explicou o que era, pensei que ser estratégico era simplesmente envolver-me em debates de alto nível sobre produtos e negócio.

Na verdade, a estratégia envolve um conjunto de acções feitas para atingir um objectivo particular. É como um trajecto feito para ir de ponto A ao B. Existem várias vias a usar, por isso uma pergunta mais interessante será: “O que é uma boa estratégia?” Para responder, usei a definição de Richard Rumelt: «Uma boa estratégia é um conjunto de acções credíveis, coerentes e concentradas na superação dos maiores obstáculos de um objectivo em particular.» Dividindo por partes:

– Atingir um objectivo em particular: deve ser claro em relação ao que significa sucesso.
– Conjunto de acções: deve haver um plano concreto.
– Credível e coerente: o plano tem de fazer sentido depois de escrutinado sem grandes componentes de conflito.
– Concentrado em superar os maiores obstáculos: deve haver um diagnóstico claro dos maiores problemas a resolver, e o plano deve concentrar recursos na sua superação.

Tendo em conta estas definições, vamos analisar a minha lista original de acções supostamente estratégicas:
– Citar métricas ou definir objectivos. Isto faz certamente parte da estratégia, mas não é suficiente. É preciso um plano credível. Dizer “a nossa estratégia passa por definir objectivos mais agressivos” é o equivalente a passar cheques mais altos e não ter uma conta bancária a eles associada.

– Arranjar novas ideias. Se não souberem qual o problema principal que estão a tentar resolver, não ajuda oferecer uma série de soluções.

– Trabalhar mais e motivar os outros a fazer o mesmo. Trabalhar mais é bom, mas não se deve confundir movimento com progresso. Trabalhar mais quando a equipa ou os objectivos não estão alinhados com uma estratégia sólida não resolverá os problemas.

– Escrever longos relatórios. Isto pode ser estratégico, mas depende do conteúdo. Cuidados com longos discursos. As boas estratégias normalmente são simples, porque descrever e executar um plano altamente complexo a dezenas ou centenas de pessoas tende a não ser uma boa estratégia.

– Criar estruturas. As estruturas podem ajudar a explicar conceitos, mas não são um plano. Ter boas estruturas é como ter um mapa. Continua a ser preciso definir um trajecto.

– Desenhar gráficos num quadro. Pode impressionar, mas provavelmente é uma má estratégia: muita conversa e fumo e pouca substância.
Agora que sabemos os passos a evitar, permanece a dúvida: O que devo fazer para ser estratégico? Ao investirem mais tempo nas três tarefas seguintes, gestores novos e experientes podem tornar-se melhores líderes estratégicos.

 

Leia o artigo na íntegra na edição de Dezembro da Human Resources, nas bancas.

Ler Mais
Comentários
A carregar...

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
O segredo para um anúncio de sucesso com 6 segundos é…
Automonitor
Presidente promulga diploma sobre alteração de matrículas automóveis