Novas formas de trabalho, novas responsabilidades: 3 dicas para construir um mundo de trabalho inovador

Já não é novo dizer que a pandemia global levou a que o desenvolvimento tecnológico acontecesse mais rápido que nunca, e que o futuro do trabalho chegou mais cedo do que muitos haviam previsto. No entanto, agora que parece que a poeira começa a assentar, temos de começar a olhar para os detalhes.

Por Fernando Braz, Country Leader da Salesforce em Portugal

 

Já não vale fazer tudo à pressa, porque já tivemos tempo para nos prepararmos para as alterações que se manterão após a pandemia. Assim como a digitalização e as novas formas de trabalhar criam oportunidades para as empresas se transformarem, construir um local de trabalho melhor exige responsabilidades adicionais. E isto é ainda mais relevante para as empresas que procuram aumentar a sua competitividade e produtividade, bem como atrair e reter os melhores talentos.
Na economia digital, a natureza mutável dos empregos pode originar novas e mais significativas carreiras profissionais. No entanto, para se prepararem de forma eficaz para essas oportunidades, e para obterem as capacidades técnicas necessárias, os colaboradores precisam de apoio. Para muitos, o trabalho remoto vai passar a tornar-se na regra e não na exceção e, neste sentido, ao mesmo tempo em que possibilitam a oportunidade de re-imaginar por completo as nossas vidas profissionais, os empregadores devem ajudar os colaboradores a adaptarem-se à nova realidade.

Maiores níveis de produtividade, colaboração e flexibilidade traduzem-se em benefícios para empresas e colaboradores. No entanto, uma coisa é adaptar novas formas práticas de trabalho e outra é transformar a cultura de toda a empresa.

Para construir um mundo de trabalho melhor, inovador e inclusivo para todos, identifico três formas de implementarmos novas tecnologias de forma criativa e responsável.

1. Aumentar a competitividade com novas competências dos colaboradores
A transformação digital está a ajudar as empresas a trabalharem melhor e mais rápido do que nunca. Com a automação, por exemplo, as empresas podem agilizar as suas operações de atendimento ao cliente e disponibilizar suporte 24/7. Equipadas com uma única fonte de conhecimento para cada cliente, podem oferecer experiências informadas, personalizadas e de confiança, sendo certo que tudo isto tem o poder de aumentar a produtividade e a competitividade dos negócios, capacitando os colaboradores para se concentrarem em tarefas mais estratégicas.
Para tirarem o maior partido possível das novas tecnologias, os líderes empresariais precisam de capacitar os seus colaboradores com novas competências. Não só as que são essenciais para o desenvolvimento das tarefas profissionais, mas também soft skills como a resiliência e a empatia, fundamentais na realidade laboral pós-pandemia. Para conseguirem o melhor dos seus colaboradores, os líderes precisam de criar uma cultura de trabalho em que a formação e o desenvolvimento contínuo estejam lado a lado, assim como alinhadas com as necessidades do negócio.

2. Um propósito conectado para inspirar equipas distribuídas
Um mundo totalmente digital permite que as empresas recrutem e mantenham equipas em que os colaboradores desenvolvam as suas funções a partir de qualquer lugar. Também desafia as empresas a manterem uma das suas maiores vantagens competitivas – a sua cultura. É essa mentalidade que envolve as pessoas, impulsiona a criação dos seus produtos e, em última análise, ajuda os clientes a terem sucesso. À medida que as equipas se tornam mais distribuídas, fomentar o sentimento comum de propósito e pertença tornar-se-á cada vez mais importante. Com a tecnologia certa, os colaboradores podem conectar-se e trabalhar melhor do que nunca, onde quer que se encontrem.
Para preparar os colaboradores para o sucesso, é certo que os empregadores precisam de investir na inovação. Ao usarem as ferramentas certas, podem expandir a sua cultura e transformar as experiências de envolvimento dos colaboradores. Da mesma forma que os dados podem ajudar a tomar decisões mais rápidas e inteligentes para beneficiar as empresas, o conhecimento obtido através de pesquisas e outras formas de envolvimento, pode ajudar a construir a união da equipa e implementar iniciativas que priorizam o bem-estar das mesmas.

3. Incentivar a flexibilidade, garantindo justiça
Embora os acordos profissionais flexíveis possam proporcionar um maior equilíbrio entre as vidas pessoal e profissional, se não forem implementados com cuidado, são mudanças que colocam em risco o progresso duramente conquistado na luta por salários e igualdade no local de trabalho. Da mesma forma que as empresas têm a responsabilidade de criar um ambiente igual, justo e inclusivo no escritório, é fundamental que essa experiência também aconteça num ambiente de trabalho remoto.
Com a pandemia a agravar as desigualdades socioeconómicas em toda a nossa sociedade, a tecnologia e os negócios podem impulsionar uma mudança positiva. À medida que o ritmo da digitalização acelera e torna as oportunidades de educação e aprendizagem mais acessíveis, podemos criar um futuro melhor para todos.

Assim, a inovação pode ajudar as empresas a transformar totalmente a sua competitividade e o serviço ao cliente. Devemos agarrar esta oportunidade para melhorarmos a forma como fazemos o nosso trabalho, mas também para cultivar um local de trabalho melhor, inspirando equipas de trabalho com um conjunto de valores comum. Embora não pudéssemos ter previsto o impacto da pandemia no mundo do trabalho que conhecíamos, temos a oportunidade – e a responsabilidade – de, daqui para a frente, construir algo melhor.

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...