Por que andamos todos a falar de transformação digital?

Não é preciso pensar muito para perceber por que razão a transformação digital ocupa actualmente o topo das prioridades para as empresas. Porém, apesar de andar nas bocas do mundo corporativo, muitos não sabem o que realmente significa.

 

Por Tânia Reis

 

Vejamos, o conceito de transformação não coloca grandes desafios, pois significa mudança; já o digital pode ter inúmeros significados, que vão desde novas tecnologias a automatização de operações… Resumidamente, transformação digital pode definir-se como «um processo de mudança organizacional com recurso a tecnologias digitais».

Com este ponto assente, passemos ao seguinte – como implementá-lo? Um processo de transformação digital bem desenvolvido traz vantagens competitivas, sejam na eficiência das operações, redução de custos e maximização de lucros, passando pela atracção e retenção de talento, à melhoria de níveis reputacionais, na relação com clientes e consumidores.

O processo deve iniciar-se, assim, com um diagnóstico em que a equipa de gestão de topo está consciente da mudança necessária, define o alinhamento transversal da “nova” cultura organizacional e apoia as equipas na sua implementação, visto que todos os departamentos e áreas de negócio serão afectados. Desengane-se se acha que digitalização é apenas “implementar software”.

Outro factor a ter em conta é que a transformação digital implica muitas vezes o uso de inteligência artificial (AI) e machine learning, mas as pessoas continuam a ser fundamentais. Quanto maior for a automatização e a implementação de análise de dados, maior será a sua complexidade, logo, será sempre necessária mão-de-obra humana qualificada para tratar do assunto.

E aqui pode estar um ponto sensível. A relação entre os gestores e as Tecnologias de Informação (TI) não é, regra geral, a mais fácil, dado que são áreas muito diferentes. Para uma transformação digital bem-sucedida, além do envolvimento contínuo dos executivos seniores, é fulcral haver colaboração e entreajuda.

Se estes pontos forem tidos em consideração, os efeitos da transformação digital começarão a ser visíveis a vários níveis: novas operações, novos processos orientados para os dados, novos modelos de negócio, maior agilidade na organização, produtos inteligentes conectados e empresas a integrarem ecossistemas digitais em vez de cadeias de fornecimento lineares.

Mas… há sempre um “mas”. Ainda que a transformação digital traga soluções e vantagens para as empresas, não oferece garantias de resolver todos os problemas na gestão dos negócios. Apenas no longo prazo conseguirão os responsáveis saber interpretar os dados e reagir atempada e eficazmente.

Por isso, não devemos assumir que esta viagem de transformação digital tem propriamente um fim. Tanto do lado tecnológico como do lado do negócio, a inovação e abertura para a mudança devem ser uma constante. A Starbucks, por exemplo, consegue manter-se competitiva porque os seus processos são alvo de melhoria contínua.

Assim, mesmo que ache que a sua empresa está bem como está, lembre-se da pandemia: a transformação digital funciona melhor em momentos disruptivos, e o que vivemos actualmente é um deles.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*