Sete tendências para a educação corporativa

A educação corporativa é fundamental para o sucesso das empresas. A era digital trouxe novas dinâmicas de trabalho e por isso um dos maiores desafios das organizações actualmente é manter seus colaboradores motivados com o trabalho e com a empresa, e também actualizados. 

 

Pelo terceiro ano consecutivo, o DOT digital group lançou o ebook com as tendências para a educação corporativa.

 

– Learning experience plataform
A plataforma de experiência de aprendizagem (LXP) é uma ferramenta que possibilita à empresa personalizar a educação de seus colaboradores. O seu objectivo é permitir a aprendizagem auto-dirigida, ou seja, é o utilizador que decide que cursos vai realizar. A plataforma, por sua vez, oferece um conjunto de conteúdos possíveis, que sugerem ainda quais as habilidades que o colaborador pode aprender e quais caminhos tomar para se desenvolver a sua carreira.

 

– Immersive learning
Até 2021, uma em cada três pequenas e médias empresas nos Estados Unidos deve utilizar programas de educação
corporativa por meio de realidade virtual. A realidade virtual e a realidade aumentada oferecem a oportunidade de aprender de forma prática. O recurso a esta tecnologia permite, entre outros, reduzir distracções e permitem que os colaboradores adquiram habilidades rapidamente.

 

– Big data, people analytics e adaptative learning
As empresas nunca tiveram tantos dados à sua disposição como agora. Na educação corporativa, esses dados podem ser utilizados de duas maneiras, as informações obtidas a respeito dos clientes através de vendas e marketing revelam o que esse público deseja, e podem ser utilizadas para treinar os colaboradores de acordo com essas necessidades e, assim, melhorar o atendimento; e as actividades realizadas na formação pelos colaboradores também revelam informações importantes a respeito da forma como aprendem, permitindo que se compreenda o comportamento desse aluno e de que forma pode ser melhorado.

 

– Inteligência artificial (IA)
Os sistemas de ensino que fazem uso de IA conseguem ser mais eficientes e personalizados, além de optimizar actividades administrativas. A aprendizagem também pode ser personalizada a partir das necessidades particulares de cada colaborador, ainda que a ferramenta seja utilizada por muitas pessoas. A partir dos dados colectados em ferramentas de aprendizagem, a IA consegue traçar rotas de formação mais eficientes para cada aluno através de padrões observados.

 

– Microlearning
De acordo com um estudo elaborado pela Microsoft, o tempo médio em que uma pessoa consegue ficar concentrada
é apenas 8 segundos. E, embora muitos apontem o surgimento da internet, das redes sociais e das tecnologias móveis como responsável por isso, a verdade é que o cérebro humano sempre processou melhor as informações em quantidades menores. E é por isso que o microlearning se mantem como uma das importantes tendências em educação corporativa, porque é uma solução educativa que se caracteriza por dividir o conteúdo a ser aprendido em pequenas doses, para que seja assimilado rapidamente e com frequência.

 

– Mobile learning
O mobile learning consegue tornar as formações mais acessíveis, já que possibilita ao colaborador o acesso ao curso no trabalho, em casa, em trânsito, ou em qualquer outro lugar – e no momento que tiver disponível. O que dá maior flexibilidade aos colaboradores e menos custos à empresa.

 

– Game thinking
As empresas estão a investir cada vez mais em processos de gamificação. Mas por quê? 89% dos trabalhadores sentem-se mais produtivos por meio de gamification, 83% sentem-se mais motivados e 78% consideram que um processo de recrutamento gamificado torna a empresa mais desejável.

 

As tendências para este ano apontam para três grandes perspectivas do futuro da educação corporativa:

– Automação: A tecnologia já possibilita que ferramentas educacionais conheçam o perfil do aluno para que, por meio de inteligência artificial e aprendizagem de máquina, consigam auxiliar esse aluno na criação de seu caminho de aprendizagem (autoaprendizagem) e de forma personalizada (aprendizagem adaptativa).

– Aprendizagem adaptativa: Diversas ferramentas possibilitam que a jornada de aprendizagem seja adaptada de acordo com as características e o histórico do colaborador. Aprender torna-se mais personalizável.

– Autoaprendizagem: O colaborador tem autonomia para criar a sua própria jornada de aprendizagem, de escolher o caminho que deseja traçar de acordo com os seus objectivos.

Ler Mais
Comentários
A carregar...

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
Seja qual for o problema “Mete Kicks nisso”
Automonitor
Presidente promulga diploma sobre alteração de matrículas automóveis