Sustentabilidade nas organizações: um driver estratégico que está para além do impacto ambiental e que deve reflectir-se na Gestão de Pessoas

Por António Saraiva, Business Development Manager na ISQ Academy

 

Gestão de Pessoas e Sustentabilidade é cada vez mais um driver estratégico dentro das Organizações. Quando se fala em Sustentabilidade a tendência é associarmos questões de poluição, impactos negativos no Ambiente e ao nível da exploração dos recursos naturais. Sem dúvida que sim, mas não só. Quando inseridos no contexto organizacional a sua amplitude aumenta.

É cada vez mais premente que as empresas participem nas políticas públicas, em particular ao nível da preservação ambiental, no consumo racional dos recursos naturais. Espera-se que coloquem na sua agenda uma maior participação nesta temática, não esquecendo a saúde e o bem estar das suas Pessoas.

Falar-se e agir-se em termos de Sustentabilidade tem um impacto de perceção positiva no mercado e nos clientes de determinada Organização, no que se pode obter no desempenho e produtividade, dentro das equipas de trabalho, na qualidade de vida das pessoas e até na redução de custos.

A aplicação prática e contínua do conceito de Sustentabilidade gera um fortalecimento da própria Cultura organizacional. Uma organização imbuída de práticas, programas e ações nesta temática, incentiva as suas Pessoas a transportarem para fora do ambiente profissional Valores imprescindíveis que desenvolvem a própria Sociedade.

Muito se começa a fazer e muito há a fazer. O investimento inicial pode condicionar uma tomada de decisão. Mas se se analisar o retorno num futuro bem próximo, talvez a decisão possa ser acelerada. E falamos de investimento. Criar e desenvolver programas que promovam a qualidade de vida será assim tão oneroso? Incentivar o consumo de produtos reutilizáveis, o incentivo de adoção de hábitos saudáveis ou alimentação equilibrada são vias possíveis.

Nas políticas de Gestão de Pessoas, desde a fase de integração das mesmas numa Organização, tudo pode contribuir para que o ambiente organizacional evolua dentro do conceito de Sustentabilidade e com redução acentuada de custos. Promover a separação de resíduos, a eliminação de papel na maioria dos processos, digitalização de arquivos ou tão simples como copos ou canecas individuais (que pode fazer parte de um kit de integração), são ações que impactam positivamente na motivação e nas políticas de sentimento de identificação com a Organização, para além da repercussão fora do ambiente corporativo.

No fundo, pensar Sustentabilidade, do ponto de vista organizacional, garante maior eficiência, reforça a imagem e reputação da Organização, preserva recursos e apela à sua utilização de forma racional, proporciona maior qualidade de vida a todos os que nela trabalham e tem impacto nas respetivas famílias e no ambiente social em que as mesmas se movimentam, para além de gerar ganhos de competências acrescidas.

O grande desafio da Gestão de Pessoas perante este Pensar Sustentabilidade é, inequivocamente, comprometer a Organização e as Pessoas nas práticas ambientais relevantes, planear e implementar ações concretas em que a perceção de certos comportamentos geram uma melhor qualidade de vida e, como foco, ter a capacidade de influenciar políticas que garantam que o conceito de Sustentabilidade é um dos Valores essenciais no universo da Cultura organizacional. Mas não só como um conceito de marketing, mas como matriz da Organização.

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...