Como e por quem é gerida a Economia Social?

Os dirigentes das entidades da Economia Social têm, na sua maioria, licenciatura ou grau académico superior, de acordo com dados do inquérito realizado pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE) a este sector. 

 

Como e por quem são geridas as entidades que compõem a Economia Social, foi o que se pretendeu saber com um inquérito promovido pelo INE entre Junho e Setembro deste ano, em colaboração com a CASES (Cooperativa António Sérgio para a Economia Social), tendo como referência o ano 2018. As entidades inquiridas foram agrupadas em cinco grandes famílias, Cooperativas, Associações Mutualistas, Misericórdias, Fundações e Associações com fins altruísticos.

Os dados do INE mostram também que em termos de idade, no caso das Associações Mutualistas, Misericórdias e Fundações o escalão de 64 anos de idade concentrava a maior parcela da distribuição referente a esta variável (41,1%, 52,2% e 54,5%, respectivamente). Nas Cooperativas, 57,3% dos dirigentes de topo tinha 55 ou mais anos de idade e 24,4% dos dirigentes das Associações com fins altruísticos concentrava-se no escalão de 35 a 44 anos.

Este inquérito mostra ainda que os dirigentes trabalhavam maioritariamente em regime de voluntariado, variando entre uma proporção de 72,1% nas Fundações e de 88,9% nas Misericórdias.

A maioria dos dirigentes exerciam a sua actividade de dirigentes sem regime de exclusividade (mínimo de 66,2% nas Misericórdias e máximo de 83,3% nas Associações Mutualistas), e na sua grande maioria acumulavam funções em outras entidades fora da Economia Social.

Ler Mais
Comentários
A carregar...

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
Banco Montepio aponta a quem procura casa
Automonitor
Presidente promulga diploma sobre alteração de matrículas automóveis