Tendências 2019: Indústria e logística vão dinamizar o mercado de trabalho

De acordo com o Guia do Mercado Laboral 2019, da Hays, o crescimento das empresas, o investimento nas suas estruturas, a criação de novas unidades fabris e o aumento da produção serão responsáveis pela manutenção do dinamismo dos sectores da indústria e logística, no próximo ano.

 

Estes factores têm resultado numa elevada procura por perfis de engenharia, associados a ambiente industrial, o que conduziu a um aumento da pressão salarial, dificultando assim a atracção e retenção de talento nestas áreas. A Hays revela que, que 2018, 54% recusaram ofertas de emprego nestes sectores.

De forma global, a pressão salarial para atrair profissionais com as competências e conhecimentos certos acentuou-se especialmente na indústria alimentar, de packaging e similares.

Os sectores da Indústria e Logística vão manter o seu dinamismo em 2019, pois serão apoiados pelos investimentos em torno da indústria 4.0 e ao apostar no crescimento das equipas profissionais de Engenharia. Matilde Moreira, Manager da Hays Portugal acrescenta: «A actual realidade industrial portuguesa está cada vez mais inovadora e o investimento das empresas levará certamente a um reforço da economia. Assim, irá contribuir por uma procura constante de perfis qualificados e um continuo dinamismo de mercado.»

Assim, a crescente escassez de profissionais altamente qualificados para os sectores industrial e de logística colocará grande pressão salarial no mercado já bastante concorrencial.

 

 Perfis mais solicitados e os mais difíceis de identificar

De acordo com o Guia do Mercado Laboral, no próximo ano, a optimização da estrutura da cadeia de abastecimentos e os fluxos logísticos, em cliente final, levarão a uma grande procura das funções de responsável de logística e supply chain e de técnico de planeamento. A Hays mostra que se irá verificar, também, uma elevada procura por técnicos de aprovisionamento com especial foco analítico.

Entre os perfis mais procurados encontram-se, ainda, os directores de operações e directores industriais, como consequência da abertura de novos polos industriais, os buyers, devido à constante procura de melhores fornecedores e à redução de custos, responsáveis de segurança e saúde no trabalho, dada a necessidade das empresas respeitarem as normas seguindo as alterações da legislação.

A dificuldade em identificar técnicos de automação e robótica, engenheiros comerciais de automação industrial, responsáveis de manutenção, técnicos de planeamento logístico e engenheiros de qualidade irá manter-se, por estarem pouco disponíveis no mercado.

 

O que faz a diferença

No que respeita às principais mais-valias na escolha de um trabalho os inquiridos valorizam a oferta salarial (80%). Segue-se o bom ambiente de trabalho (73%), o plano de carreira (63%), a cultura empresarial (62%) e a qualidade de projetos (51%).

Entre os benefícios que mais desejam encontram-se o seguro de saúde (81%), a formação (67%), automóvel para uso pessoal (57%), a flexibilidade de horários (54%) e a possibilidade de trabalhar a partir de casa (30%).

 

Veja também estas notícias.

 

Ler Mais
Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
Cristiano Ronaldo promove curso que ensina a ser influenciador
Automonitor
Os peculiares protótipos que a Daihatsu vai levar a Tóquio