Novabase: Comunicar para dentro

Enfrentamos uma crise sem precedentes e o foco das organizações deve ser nas pessoas: mantê-las informadas sobre os mais recentes eventos e disponibilizar-lhes os recursos necessários para que possam ultrapassar esta fase difícil são aspectos críticos.

A Comunicação Interna sempre desempenhou um papel importante no envolvimento e motivação dos colaboradores para com a organização que integram. Mas, num contexto altamente adverso como o que hoje atravessamos, passou a ter ainda mais relevância na continuidade das organizações.

Quer seja uma crise interna, externa ou, como é o caso, de saúde pública e de impacto global, a Comunicação Interna deve ser utilizada como uma ferramenta para tranquilizar os colaboradores, mantê-los informados e produtivos. Ter uma boa comunicação dentro da empresa é hoje, aliás, um imperativo para qualquer organização, porque são os colaboradores que garantem o funcionamento da empresa e o bem mais valioso das organizações. E mais: a Comunicação Interna é igualmente relevante para a cultura da organização e gestão da mudança, sobretudo num contexto pandémico, permitindo alinhar as expectativas dos colaboradores com os objectivos e estratégias organizacionais.

A pandemia que enfrentamos obrigou-nos a alterar por completo a nossa rotina. Para além de introduzir forçosamente o trabalho remoto, alterou o dia-a-dia dos colaboradores e as interacções constantes e presenciais com as suas equipas de trabalho. Deparámo-nos não só com uma fase marcada pelo receio e pela incerteza, como também por um profundo afastamento entre colegas de equipa. O afastamento físico entre colegas traz desafios às organizações que não podem ser ignorados, como trabalhar a cultura sem interacção presencial – e aqui também a Comunicação Interna desempenha um papel importante.

 

Um plano de acção com três pilares
Com foco nas nossas pessoas, enfrentamos uma crise sem precedentes e o foco das organizações deve ser nas pessoas: mantê-las informadas sobre os mais recentes eventos e disponibilizar-lhes os recursos necessários para que possam ultrapassar esta fase difícil são aspectos críticos.

Na Novabase operámos um plano de acção assente em:

1. Informação clara, transparente e em tempo útil: a empresa reúne regularmente esforços para que seja possível fazer updates diários sobre os vários temas que afectam a organização e respectivos colaboradores. Aqui, considero relevante não só um ponto de situação em termos epidémicos, mas também sobre o próprio negócio e diferentes departamentos da organização. Além de termos quase quadruplicado as comunicações, focámo-nos numa aproximação entre a liderança da empresa e os colaboradores, de maneira a transmitir tranquilidade para o ambiente corporativo;

2. Disponibilização de ferramentas úteis: foi criada uma intranet específica para o tema da pandemia, com toda a informação sobre as medidas por escritório, sobre como aceder aos serviços partilhados da organização. Neste período difícil têm-se levantado inúmeras questões e preocupações entre os colaboradores e a realização de webinars para a liderança dar enquadramento ao que tivesse sido feito, bem como a possibilidade de serem colocadas dúvidas e questões tem-se revelado essencial para uma comunicação clara e transparente.

3. Pulse check: mais do que comunicar com os colaboradores, torna-se muito importante ouvi-los e dar-lhes voz. Através de um inquérito mensal, conseguimos aferir as suas preocupações, receios e opiniões sobre o impacto da pandemia nas suas vidas e na empresa. Posteriormente, estes resultados são partilhados na intranet para que consigam perceber que as suas opiniões são ouvidas e que não são os únicos com receios.

Estes três pilares e respectivas acções dizem respeito à Novabase, mas é algo que pode, e deve, ser aplicado pelas várias organizações. Olhar para os colaboradores como o nosso bem mais valioso é extremamente importante nos tempos que vivemos, pelo que a Comunicação Interna se revela como sendo fundamental para estreitar estas relações e levantar a moral.

Se há algo que esta pandemia me ensinou é que, mais do que nunca, devemos comunicar de forma clara e transparente com o nosso público interno e dar-lhe as ferramentas necessárias para que se continue a sentir motivado, ouvido e com as suas preocupações tidas em conta.

É fundamental que os líderes organizacionais percebam que o sucesso e eficácia da empresa estão dependentes dos colaboradores. Eles são a alma do negócio e permitem a operação da empresa com qualidade, pelo que gerir e conhecer as pessoas que fazem do nosso negócio aquilo que ele é, tem de ser a prioridade.

 

Este artigo faz parte do Caderno Especial “Comunicação Interna”, publicado na edição de Setembro (n.º 117) da Human Resources, nas bancas.

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...